Google+ Followers

porque convergimos e integramos com AMOR, VERDADE, RETIDÃO, PAZ E NÃO-VIOLÊNCIA

dedicamos este espaço a todos que estão na busca de agregar idéias sobre a condição humana no mundo contemporâneo, através de uma perspectiva holística, cujos saberes oriundos da filosofia, ciência e espiritualidade nunca são divergentes; pelo contrário exige-nos uma postura convergente àquilo que nos move ao conhecimento do homem e das coisas.
Acredito que quanto mais profundos estivermos em nossas buscas de respostas da consciência melhor será para alcançarmos níveis de entendimento de quem somos nós e qual o propósito que precisaremos dar as nossas consciências e energias objetivas e sutis para se cumprir o projeto de realização holística, feliz, transcendente, consciente e Amorosa.

"Trata-se do sentido da unidade das coisas: homem e natureza, consciência e matéria, interioridade e exterioridade, sujeito e objeto; em suma, a percepção de que tudo isso pode ser reconciliado. Na verdade, nunca aceitei sua separatividade, e minha vida - particular e profissional - foi dedicada a explorar sua unidade numa odisseia espiritual". Renée Weber

PORTANTO, CONVERGIR E INTEGRAR TUDO - TUDO MESMO! NAS TRÊS DIMENSÕES:ESPIRITUAL-SOCIAL-ECOLÓGICO

O cientista (psicólogo e reitor da Universidade Holística - UNIPAZ) PIERRE WEIL (1989) aponta os seguintes elementos para a falta de convergência e integração da consciência humana em geral: "A filosofia afastou-se da tradição, a ciência abandonou a filosofia; nesse movimento, a sabedoria dissociou-se do amor e a razão deixou a sabedoria, divorciando-se do coração que ela já não escuta. A ciência tornou-se tecnologia fria, sem nenhuma ética. É essa a mentalidade que rege nossas escolas e universidades"(p.35).

"Se um dia tiver que escolher entre o mundo e o amor...Lembre-se: se escolher o mundo ficará sem o amor, mas se escolher o amor, com ele conquistará o mundo" Albert Einstein

domingo, 13 de outubro de 2013

TUDO QUE NECESSITAMOS É AMOR: MEUS TEXTOS DE REFLEXÃO ENTRE 1988 E 2013 (número 7.

TUDO QUE NECESSITAMOS É AMOR: MEUS TEXTOS DE REFLEXÃO ENTRE 1988 E 2013 (número 7.... HISTÓRIA DO SAPO NADADOR E O ESCORPIÃO ENVENENADOR.. obs.: Prezados leitores quem quiser continuar acompanhar a série CONVERSANDO E AMANDO COM DEUS: TUDO QUE NECESSITAMOS É AMOR - MINHAS EXPERIÊNCIAS ESPIRITUAIS INEXPLICÁVEIS E EXTRAORDINÁRIAS (O QUE É A GRANDE FRATERNIDADE BRANCA: UMA HIERARQUIA ESPIRITUAL CRIADA POR DEUS! – PARTE 1, 2, 3, ...”n”)....por favor visite o site no link http://bernardomelgaco.blogspot.com.br/ .ou o site Educação Para o Terceiro Milênio ver link... https://www.facebook.com/EducacaoParaOTerceiroMilenio Obrigado... Namastê! “Senhor, eu sei que Tu me Sondas...” “Conhece-te a ti mesmo” – Sócrates (ver link...carta encíclica ”fé e razão” do Papa João Paulo II.. http://www.vatican.va/holy_father/john_paul_ii/encyclicals/documents/hf_jp-ii_enc_15101998_fides-et-ratio_po.html) “All you need is love” (Lennon/MaCartney) "o problema humano é o mesmo do problema divino quando se consegue responder um então conseguimos responder o outro" Bernardo Melgaço da Silva “O Humano e Deus são os dois lados da mesma moeda” Bernardo Melgaço da Silva “A busca da felicidade, é a mesma busca da verdadeira identidade de quem somos nós!” Bernardo Melgaço da Silva “O medo humano é decorrente da falta de fé em Deus. Assim, quando adquirimos a fé em Deus de forma inabalável junto com a fé vem também a coragem, a prudência e a humildade. Por isso, o problema humano se torna um problema divino: a fé pura incondicional de Deus.” Bernardo Melgaço da Silva “Eu Sou a Poderosa Presença Divina em Ação” HAJA LUZ/PONTE PARA A LIBERDADE "Conhecereis a verdade e a verdade vos libertara"- João 8:32 “All you need is love” Lennon/MaCartney) A HISTÓRIA DO SAPO NADADOR E O ESCORPIÃO ENVENENADOR Era uma vez um sapo nadador que num dia de belo sol em sua caminhada matinal encontrou um escorpião envenenador. O sapo sabia da fama da natureza do escorpião. Mas, como ele não era um sapo comum sabia do poder que havia adquirido e por isso não tinha nenhum medo de escorpião. E assim conversou com o escorpião. O sapo indagou ao escorpião se era tudo verdade aquilo que diziam, lá na selva (interior), a respeito do escorpião. O escorpião disse que não era tudo verdade não, daquilo que diziam de sua espécie. Então, o escorpião enumerou uma série de qualidades que uma espécie especial de escorpião havia desenvolvido em sua jornada evolutiva durante várias eras na “vida escorpiosa”. O sapo escutou atentamente a descrição do escorpião. E nada falou. Assim todas as vezes que o sapo passeava de manhã encontrava com o escorpião naquelas proximidades do rio. O sapo se acostumou com aquela presença. E procurou não indagar a respeito da natureza violenta do escorpião. Dias se passaram. Meses se passaram. Tardes aconteceram. A vida foi então aproximando duas realidades distintas. A realidade do sapo e a realidade do escorpião. Até que de tanto conversarem e trocarem conhecimentos a respeito de suas realidades distintas brotou entre eles uma confiança ilógica, brotou entre eles uma sinceridade anormal, uma amizade inexplicável. O sapo não conseguia ver o escorpião como um escorpião. E o escorpião não conseguia mais ver o sapo como um sapo. As realidades se misturaram como se fossem café com leite. Não havia meios de separar o café do leite, ou seja, a realidade que o sapo via e a realidade que o escorpião via também. Era uma mistura perigosa que as circunstâncias da vida criou. O escorpião sentindo profundo respeito e amizade pelo sapo afirmou com convicção que iria ajudar o sapo na sua situação material precária de vida de sapo que vivia se escondendo em brejos escuros ou mal iluminados por clarões artificiais. O escorpião disse ao sapo: “não posso deixar de ajudar o meu amigo sapo. Não posso deixar que meu amigo sapo viva nessas condições precárias. Deixa-me ajudar você amigo sapo. Eu sou teu amigo e irmão de selva (interior)”. O sapo perguntou de que forma o escorpião poderia ajudá-lo. Então, o escorpião disse que havia conquistado com certo esforço e luta pessoal um pedaço privilegiado da selva (interior) onde os animais perigosos não conseguiam chegar até lá. Assim, o escorpião levou o amigo sapo para conhecer o lugar seguro onde o escorpião se escondia de vez em quando. O sapo, quando se deparou com o lugar reconheceu a beleza e a segurança do lugar. O lugar era lindo e agradável. Realmente era um privilégio morar e se esconder ali. Foi então, que o sapo fez um acordo com o escorpião no sentido de construir um brejo adequado às condições de vida de sapo. Até porque os modos de viver eram diferentes entre eles. O escorpião concordou e incentivou o amigo sapo a construir o seu brejo particular. Meses e meses foram gastos na construção de um brejo projetado que era modesto mas bonito. A vida parecia que estava indo muito bem naquela amizade entre eles. Bom, até que um belo dia aconteceu um grande incêndio na floresta.Foi aí que o escorpião se lembrou das qualidades do sapo. O sapo era um exímio nadador e o escorpião era um exímio envenenador. Mas, as qualidades do escorpião não o ajudava naquela situação de desespero entre o fogo da vida e o fogo da morte. Era preciso ação na salvação. O sapo estava tranqüilo e confiante em si. O sapo sabia de suas qualidades de sapo e muito mais ainda. Então, o sapo disse ao escorpião que apesar de serem amigos ele sabia que a natureza do escorpião era perigosa no momento da travessia do rio da salvação. E disse mais ainda que o rio da salvação era a única porta de saída do desespero entre o fogo da vida e o da morte. O escorpião recorre a sua capacidade de diálogo e argumentação, e diz para o sapo que era o momento de se confiar nele porque ele (escorpião) não iria ferrá-lo em caso de sentir medo durante a travessia do rio da salvação (é bom se dizer que a natureza desse escorpião reagia sempre negativamente quando tinha medo). O sapo ponderou, então, que pelos seus conhecimentos somente um escorpião evoluído não agia como escorpião que ferrava. O escorpião respondeu dizendo que já estava evoluído e que deveria acreditar nele. Devia confiar e pronto. O sapo sabia do risco que corria. Ele relembrou, para si mesmo, que sua missão era salvar escorpiões evoluídos e não sapos nadadores como ele. Foi então que o sapo, depois dessa estranha reflexão, concordou com aquela travessia perigosa no rio da salvação. O escorpião pulou nas costas do sapo e se agarrou nela. O sapo então se jogou no rio e começou a nadar com segurança total. O escorpião nas costas do sapo se sentia seguro. Mas, quando estavam chegando no meio do rio um tronco de árvore em chamas atravessou na frente deles. Nesse momento, o escorpião impulsionado pelo medo agiu automaticamente com seu poderoso ferrão e - “záp” - picou o sapo. O sapo sentiu profunda dor com o terrível veneno do escorpião. A dor era insuportável. A dor física e moral de ser picado pelo seu amigo escorpião. Durante alguns segundos o sapo lutou entre a sua fé na vida e a sua dor da morte. Por alguns instantes de consciência o sapo visitou o seu céu e o seu inferno interior. Quando a sua fé transcendeu a dor ele retornou a sua consciência desperta recobrando plenamente os sentidos. O sapo, então, olhou para trás e perguntou ao amigo escorpião porque ele havia feito aquilo. O escorpião disse que era assim mesmo. Era sua natureza de escorpião pouco evoluído. O sapo então disse ao escorpião: “puxa vida! se você tivesse confiado em mim sinceramente eu poderia carregar você para o outro lado do rio da salvação. Do outro lado você encontraria com certeza a felicidade Real, encontraria o verdadeiro Amor Incondicional e a Vida Eterna. Perdoe-me. Agora é tarde demais! Eu não poderia falar antes a você porque sabia que você não entenderia a minha metalinguagem. Isto porque a travessia é feita na confiança e na amizade entre dois seres de mundos distintos. Nesse momento eu posso lhe falar porque somente agora aconteceu uma grande prova de “fogo” da amizade e confiança entre nós. Sinceramente, quero que saibas que eu não sou um sapo de verdade. Eu era a tua oportunidade de travessia no rio da salvação. Agora eu não posso mais atravessar você porque perdeu-se o poder e o encanto da confiança e amizade. Esse poder mágico e encantador é a prova de “fogo”, nessa relação, para se atravessar o rio da salvação. Eu tenho que ir embora sozinho para o outro lado do rio. Você terá que voltar sozinho para o seu mundo em chamas. Não posso fazer mais nada por você. Fique vigilante para descobrir um novo sapo encantado (consigo mesmo!) e amigo que aceite fazer essa travessia perigosa. Eu sou, em verdade, um enviado do Rei Todo Poderoso Senhor de Todas as Florestas. A sua oportunidade, infelizmente, comigo foi perdida. Quero que você compreenda caro amigo escorpião que existem somente duas maneiras de você atravessar o rio da salvação. A primeira, e mais difícil, é você atravessar uma profunda crise existencial sem você ficar completamente louco. E a segunda, é o Rei Todo Poderoso Senhor de Todas as Florestas, enviar de tempos em tempos um sapo encantado e amigo, para ajudar os escorpiões evoluídos nessa perigosa travessia do rio da salvação. Esta última condição é uma dádiva do Rei Todo Poderoso Senhor de Todas as Florestas. Por isso, preste bem atenção NUNCA MAIS PERCA UMA OPORTUNIDADE DESSA, a vítima pode ser você mesmo. E mais ainda se liberte dos valores “ego-escorpio-nômicos” de sua espécie que fazem você ter medo de “troncos de árvores incendiadas”. Assim sendo, terei que encerrar por aqui mesmo essa minha nobre missão. O Rei me chama, para uma outra importante missão, do outro lado do rio da salvação. Até breve (Quem sabe!) e Adeus”. O sapo depois de falar tudo isso, olhou para o céu e murmurou algumas palavras de agradecimento. Do céu uma luz de cor violeta muito forte iluminou o rio de uma margem a outra. No instante seguinte o sapo foi se iluminando no centro do peito. E aí se transformou em luz e desapareceu do campo de visão do escorpião. O escorpião de repente se viu sozinho no meio do rio da salvação. O seu sincero amigo de verdade havia transcendido e deixado esse mundo. O escorpião teve de se esforçar para voltar sozinho e enfrentar de novo o seu mundo em chamas. Aqui, esse conto termina. Qualquer semelhança com a vida humana é pura verdade. Bernardo Melgaço da Silva 6 de Mar. de 1996 Prof. Bernardo Melgaço da Silva Senhor, Eu sei que Tu me Sondas (música religiosa brasileira http://letras.mus.br/padre-marcelo-rossi/66350/ ). Bonita!!!!!!!!!!!!!!!!! Senhor, Eu sei que tu me sondas Sei também que me conheces Se me assento ou me levanto Conheces meus pensamentos Quer deitado ou quer andando Sabes todos os meus passos E antes que haja em mim palavras Sei que em tudo me conheces Senhor, eu sei que tu me sondas (4 vezes) Refrão Deus, tu me cercaste em volta Tuas mãos em mim repousam Tal ciência, é grandiosa Não alcanço de tão alta Se eu subo até o céu Sei que ali também te encontro Se no abismo está minh'alma Sei que aí também me amas Senhor, eu sei que tu me sondas (4 vezes) Refrão Senhor, eu sei que tu me amas (4 vezes) Refrão Sugiro que assistam seis vídeos na Internet: “Quem somos nós? (baseado na física quântica...ver link http://www.youtube.com/watch?v=WDXFRvbe2VY)”, “I AM” (Sobre Tom Shadyac) , “As Sete leis Espirituais do Sucesso – de Deepak Chopra”, “O Ponto de Mutação – baseado no livro de Fritjof Capra ”, “Conversando com Deus” – baseado no livro publicado por Neale Donald Walsch ... Conversando com Deus (título original em inglês: Conversations with God) é uma série de três livros publicada por Neale Donald Walsch, que afirma ter sido inspirado diretamente por Deus em seus escritos. Cada livro é escrito como um diálogo no qual Walsch faz perguntas e "Deus" as responde. Walsch afirma ainda que não se trata de canalizações, mas de inspirações divinas. Em 2006, um filme foi lançado sobre a história do autor e seus livros... Ver link http://pt.wikipedia.org/wiki/Conversando_com_Deus), “A Unidade das Religiões: O Amor Universal – no site da Organização Sri Sathya Sai Baba do Brasil”. Livros recomendados: “Mãos de Luz – de Barbara Ann Brennan, editora Pensamento”, “Medicina Vibracional – de Richard Gerber, editora Cultrix”, “Seu EU Sagrado – Dr. Wayne Dyer, Editora Nova Era”, “O Fluir do Amor Divino: Prema Vahini – Publicado por: Fundação Bhagavan Sri Sathya Sai Baba do Brasil”. Namastê! Prof. Bernardo Melgaço da Silva – pensador livre holístico-transcendental: filósofo (praticante), cientista e espiritualista – Professor Universitário Aposentado da URCA (Universidade Regional do Cariri –CE). e-mail: bernardomelgaco@gmail.com Facebook: Bernardo Melgaço da Silva/página Educação Para o Terceiro Milênio bernardomelgaco.blogspot.com Nota: Em 1992 e 1998 fiz dois trabalhos científicos: dissertação de mestrado e tese de doutorado respectivamente. E nesses dois trabalhos, que tem uma cópia de cada um na Universidade Federal do Rio de Janeiro (na biblioteca do Cento de Tecnologia –CT - Universidade Federal do Rio de Janeiro - Brasil), procurei mostrar (“explicar cientificamente”) o Caminho do Amor Divino que fiz em 1988. E quem desejar uma cópia dos meus trabalhos científicos envie um e-mail (eu tenho eles no formato Word) para mim, pois terei o maior prazer do mundo de compartilhar minhas pesquisas acadêmicas na UFRJ/COPPE. Namastê...obrigado!

Nenhum comentário: