Google+ Followers

porque convergimos e integramos com AMOR, VERDADE, RETIDÃO, PAZ E NÃO-VIOLÊNCIA

dedicamos este espaço a todos que estão na busca de agregar idéias sobre a condição humana no mundo contemporâneo, através de uma perspectiva holística, cujos saberes oriundos da filosofia, ciência e espiritualidade nunca são divergentes; pelo contrário exige-nos uma postura convergente àquilo que nos move ao conhecimento do homem e das coisas.
Acredito que quanto mais profundos estivermos em nossas buscas de respostas da consciência melhor será para alcançarmos níveis de entendimento de quem somos nós e qual o propósito que precisaremos dar as nossas consciências e energias objetivas e sutis para se cumprir o projeto de realização holística, feliz, transcendente, consciente e Amorosa.

"Trata-se do sentido da unidade das coisas: homem e natureza, consciência e matéria, interioridade e exterioridade, sujeito e objeto; em suma, a percepção de que tudo isso pode ser reconciliado. Na verdade, nunca aceitei sua separatividade, e minha vida - particular e profissional - foi dedicada a explorar sua unidade numa odisseia espiritual". Renée Weber

PORTANTO, CONVERGIR E INTEGRAR TUDO - TUDO MESMO! NAS TRÊS DIMENSÕES:ESPIRITUAL-SOCIAL-ECOLÓGICO

O cientista (psicólogo e reitor da Universidade Holística - UNIPAZ) PIERRE WEIL (1989) aponta os seguintes elementos para a falta de convergência e integração da consciência humana em geral: "A filosofia afastou-se da tradição, a ciência abandonou a filosofia; nesse movimento, a sabedoria dissociou-se do amor e a razão deixou a sabedoria, divorciando-se do coração que ela já não escuta. A ciência tornou-se tecnologia fria, sem nenhuma ética. É essa a mentalidade que rege nossas escolas e universidades"(p.35).

"Se um dia tiver que escolher entre o mundo e o amor...Lembre-se: se escolher o mundo ficará sem o amor, mas se escolher o amor, com ele conquistará o mundo" Albert Einstein

terça-feira, 29 de setembro de 2009

FRASES - DEUS (AUTOR DESCONHECIDO)



A verdade da vida

1 - 'Deus não escolhe
pessoas capacitadas, Ele capacita os
escolhidos.'


2 - 'Um com Deus é
maioria.'


3 - 'Devemos orar
sempre, não até Deus nos ouvir, mas até que
possamos ouvir a Deus.'


4- 'Nada está fora
do alcance da oração, exceto o que está fora
da vontade de Deus.'


5- 'O mais importante
não é encontrar a pessoa certa, e sim ser
a pessoa certa.'


6 - 'Moisés gastou:
40 anos pensando que era alguém; 40 anos
aprendendo que não era ninguém e 40 anos descobrindo o que Deus
pode fazer com um NINGUÉM.'


7 - 'A fé ri das impossibilidades.'


8 - 'Não confunda
a vontade de DEUS, com a permissão de DEUS.


9 - 'Não diga a DEUS
que você tem um grande problema. Mas diga
ao problema que você tem um grande DEUS.'


Isto é apenas um simples
teste...
Se você ama a Deus
e não tem vergonha de todas as coisas
maravilhosas que Ele tem feito por você:

CONFIE E AQUIETA-TE!

-----------------------------------

E segundo o mestre indiano SAI BABA:
"Quando a mente se retira do mundo exterior, a língua também se silencia. Todos os outros sentidos acompanham essa condição. Esse é o silêncio genuíno.”

E é ai (nesse silêncio genuíno) que surge a oportunidade de OUVIR DEUS EM SUA CONSCIÊNCIA METAFÍSICA

sábado, 26 de setembro de 2009

ENERGIA + CONSCIÊNCIA = CRIAÇÃO (II)



ENERGIA E CONSCIÊNCIA: AS NOVAS DESCOBERTAS DA CIÊNCIA MODERNA – FÍSICA E METAFÍSICA

Bernardo Melgaço da Silva
O avanço tecnológico na presente era da informatização se apóia sobre uma "sutilização da sensibilidade" física dos instrumentos de captação e medição. Os aparelhos científicos estão cada vez mais sensíveis às formas de energia de velocidades cada vez mais elevadas (os aceleradores de partículas são aqui um exemplo notável). Por outro lado, aos cientistas se coloca a tarefa de corresponder "interpretativamente" a essa sutilização evitando um crescente descompasso e um cumulativo desequilíbrio. Isso implica maior disponibilidade e abertura à intuição.

Certos fenômenos humanos que fazem parte do nosso dia-a-dia são muitas das vezes traduzidos por expressões tais como "vibrações más", "energias negativas" ou "forças ocultas". O uso dessas expressões é visto no meio intelectual como algo não-convencional, uma espécie de linguagem "marginal" ou gíria. No entanto, não percebemos o contéudo que estas palavras expressam. Vejamos o que diz BRENNAN (Mãos de Luz, 1990):

"A proporção que nos permitimos desenvolver novas sensibilidades, principiamos a ver o mundo inteiro de maneira muito diferente. Começamos a prestar mais atenção a aspectos da experiência que antes nos pareciam periféricos. Surprendemo-nos a usar uma nova linguagem para comunicar as novas experiências. Expressões como "vibracões más" ou "a energia ali era grande" estão se tornando comuns. Principiamos a notar e dar mais crédito a experiências como a de encontrar alguém e a de gostar ou desgostar desse alguém, num instante, sem nada saber a seu respeito. Gostamos de suas "vibrações"" (p.39).

Continuando a análise de BRENNAN (Mãos de Luz) temos:

"Todas essas experiências têm realidade nos campos de energia. O nosso velho mundo de sólidos objetos concretos está rodeado e impregnado de um mundo fluido de energia radiante, em constante movimento, em constante mutação, como o oceano"(p.39).

A vibração é um fenômeno de sinalização da vida. Tudo vibra, nada está absolutamente parado. Um cientista chegou afirmar: "quando um elétron vibra todo universo balança". Mas cabe aqui uma pergunta: "vibração" e "frequência" são a mesma coisa? A consciência é também uma forma de energia e, entanto que tal, possui um espectro de "frequências" que pode ser captado de acordo com o grau de sensibilidade do "instrumento" humano. O ser humano é uma criatura capaz de captar formas de energia com um amplo espectro de "frequência", variando desde baixas vibrações, como por exemplo o som, até altíssimas vibrações, como o pensamento e a emoção.

O Ocidente moderno se caracteriza por profunda ignorância a respeito das formas de energia ativas em nível metafísico. Quando não por até mesmo negar-lhes a existência. Quando recentemente se inicia um progressivo reconhecimento de que o pensamento pode, ou deve, ser percebido como forma de energia (e não apenas como um conceito), isso tem conseqüências tremendas. O problema aumenta quando referida a uma sociedade inconsciente de tais fenômenos. Nesse contexto os "nossos pensamentos" podem deixar de ser "nossos": são formas de energia captadas ocasionalmente por nós. Esta situação chegou a ser descrita por Jung através da categoria "inconsciente coletivo".

ÍNDIOS DO BRASIL (III)





Pensamento para o Dia 26/09/2009


“O homem é mortal e o Divino é imortal. No ser humano mortal, há o Espírito Divino imortal. No campo do coração, há uma árvore que realiza os desejos (Kalpatharu). A árvore está cercada por plantas e arbustos espinhosos. Quando eles são retirados, a árvore torna-se visível. Essa árvore que realiza os desejos está no interior de cada pessoa, mas é rodeada pelas más qualidades no homem. Quando essas qualidades forem eliminadas, a árvore celestial será reconhecida. Esse é o exercício espiritual (Sadhana) que cada um deve realizar, não para procurar algo novo, mas para experimentar o que é seu. O cosmo inteiro está dentro de você.”
Sathya Sai Baba

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

ENERGIA + CONSCIÊNCIA = CRIAÇÃO (I)



O QUE É "ENERGIA" E QUAL A SUA DIMENSÃO?

René Alleau (Ciência dos Símbolos) afirmou que o que menos se sabe a respeito de qualquer coisa é o princípio dela. Nesse sentido, se torna um tanto difícil definir o que é energia, isto porque a definição é sempre uma explicação de um sujeito sobre uma parcela iluminada do objeto, fenômeno ou princípio. A energia existe num processo relacional entre o indivíduo - que percebe, mede, capta, sente ou utiliza - e o fenômeno enquanto parte da realidade observada (e que transcende e envolve o próprio sujeito) que se modifica na ação de observar.

No âmbito da ciência, a energia é a capacidade de interconversão ou de realização de trabalho. Esta última, é a definição clássica, ou seja, comum da ciência. A definição moderna de energia é a de Einstein, ou seja, E = m.C2 (onde E é energia, m é massa e C é velocidade da luz). De um modo geral, nos acomodamos com a definição clássica relacionada ao trabalho e aos fenômenos de baixa velocidade e baixa freqüência. O conceito de trabalho é muito amplo. Ele tem raízes históricas, culturais, filosóficas, existenciais e éticas. Ele envolve dimensões variadas. O trabalho pode ser definido como uma diferença de potencial (no campo da física: mecânica e eletricidade), ou seja, a capacidade de mudar um estado de um objeto ou de transportar uma carga elétrica de um pólo a outro num circuito elétrico. Ele pode ser definido como o esforço humano para a consecução de um fim utilitário, econômico ou espiritual; entendido como a base histórica e econômica da existência material, moral e espiritual de uma sociedade; percebido como a mecânica da vida num processo de construção, transformação e destruição criativa ininterrupta.

Assim, a definição de energia a partir do trabalho não encontra base para sustentação. O que descrevemos da energia é o seu efeito na manifestação como trabalho ou na concentração, sutilização, modificação, conversão e deslocamento da matéria. A energia está, em síntese, associada ao poder da criação ou da destruição da natureza.

O sol emite energia luminosa e calorífica, além de energia eletromagnética e radioativa. As plantas produzem clorofila. As tempestades manifestam a força da energia dos ventos e dos campos elétricos formados entre as nuvens e a terra. A terra molhada agradece na fertilização abundante. As águas dos rios e dos oceanos são fontes de energias aproveitadas pelos homens. O homem consome a água potável para matar a sua sede, e transporta seus produtos sobre as águas dos rios e mares. O solo e o subsolo também são fontes de energias: petróleo, gás, minerais, etc. Os animais captam, transformam e emitem energias. Os peixes elétricos são um exemplo notável! O homem se locomove e age a partir da energia que armazena e capta da natureza. Em suma, onde há vida, há energia. Por isso, intuitivamente se afirma que um indivíduo doente está sem energia ou que sua energia está baixa.

A energia é tudo o que nos envolve, move, comove, afeta e nos faz viver, sofrer e transcender. Ela é raíz, a riqueza e a essência do ser na relação - de poder, equilíbrio ou submissão - com os fenômenos natural e sobrenatural. O homem está totalmente inserido e dependente dela, e nela busca sentido e significado para a sua existência, liberdade, felicidade e identidade humana natural e supra-humana sobrenatural. Ela faz parte das ações humanas, pois em tudo que faz o homem emprega uma variedade de formas e naturezas de energia. A energia é o pulsar da sagrada vida!

"Tudo que move é sagrado" - diz o poeta e cantor brasileiro.
Nesse contexto, se admitirmos por hipótese que o pensamento é também uma forma de energia sutil, toda e qualquer definição se torna limitada pela própria hipótese do pensamento-energia: o pensamento não explica o próprio pensamento - a energia não se explica a não ser pelo poder de criação, renovação e destruição. Por isso, Einstein (Como Vejo o Mundo, 3 ed., Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1981) afirmou:

“Porque os conceitos não correspondem a um conteúdo a não ser que estejam unidos, mesmo de modo indireto, às experiências sensíveis. Contudo, nenhuma pesquisa lógica pode afirmar esta união. Ela só pode ser vivida. E é justamente esta união que determina o valor epistemológico dos sistemas de conceitos” (p.164-165).

A vida em sociedade é uma gestão criteriosa (ou não) das energias humana e natural em prol da coletividade e do indivíduo. Quando a administração dessas energias é feita sem critérios humanos, ou seja, apenas com fins econômicos, as consciências-energias humanas são exploradas e a natureza destruída - como já está sendo destruída! Por isso, Gandhi afirmou que "aquele que não sabe governar a si mesmo, não sabe governar ninguém".

A energia humana se traduz em poder e transcendência em si mesma! A ideologia é a dominação do pensamento-energia de grupos humanos.

ÍNDIOS DO BRASIL (II) - AUTOR DESCONHECIDO



Pensamento para o Dia 25/09/2009



“O mundo é composto de objetos. Ele é inerte. No estado desperto, os sentidos reconhecem todos esses objetos. Mas os sentidos também são inertes. Os olhos que vêem, os ouvidos que ouvem, a língua que fala e o nariz que cheira: todos são inertes (Jada). De fato, o corpo inteiro é inerte. Mas todos esses objetos inertes são capazes de funcionar por causa da presença da consciência (Chaitanya) na mente. Portanto, precisamos compreender que todo o universo dos fenômenos é inerte (Jada).”
Sathya Sai Baba

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

ÍNDIOS DO BRASIL (I) – AUTOR DESCONHECIDO


A IMPORTÂNCIA DA ÉTICA GRECO-CRISTÃ NO MUNDO CONTEMPORÂNEO


“o que menos se sabe a respeito de qualquer coisa é o princípio dela” Renë Alleau

O que menos se sabe a respeito da ética é a sua natureza ontológica. Fala-se muito em ética e sabe-se muito pouco dela. Por isso, confundimos a ética com a moral (que é uma decorrência da qualidade da ética que escolhemos seguir). Por que é tão difícil entender o domínio ontológico da ética? Simplesmente porque não está na dimensão da razão. Ela transcende a razão. A natureza ontológica da ética está no campo da sensibilidade humana. A mesma dificuldade que temos para explicar o gosto da água temos também (num nível superior) de compreender a essência da ética. A ética de Cristo não era a ética dos seus carrascos. A ética de Sócrates e Gandhi não era a mesma de seus conterrâneos e oponentes.

Em outras palavras, a ética não é um único caminho onde todos se realizam e se relacionam enquanto espécie humana. A ética precisa ser entendida como um modo de conceber a realidade e agir sobre ela em dois sentidos: o material e o espiritual. A ética no sentido material é aquela que concebemos como moral – lugar dos hábitos, dos costumes e das regras sociais. E a ética no sentido espiritual é aquela que os gregos concebiam como Ethos, ou seja, a morada da alma – o caráter! E Cristo denominava esse lugar da consciência humana como sendo o Reino de Deus.

Nesse sentido, o Ethos e o Reino de Deus é o lugar dos valores universais do Amor, da Paz, da Sabedoria, do Perdão, da Cooperação e todos os valores positivos da transcendência humana. Podemos, então, denominar esse caminho de conduta, de Ética greco-cristã. A ética greco-cristã transcende a ética moralista da modernidade utilitarista e pragmatista. O sentido da ética funda, portanto, dois mundos: o mundo moderno utilitarista e o mundo tradicional espiritualista. O primeiro mundo (objetivo e concreto) se transforma quando o homem emprega sua energia e consciência no sentido determinado pelos valores da ética materialista-utilitarista.

As guerras são manifestações das conseqüências danosas da ética materialista agindo na psique do homem moderno. As interpretações ideológicas apenas fomentam as ações humanas no processo de produção de valores materialistas-capitalistas. O segundo mundo (subjetivo e sutil) se transforma quando o homem emprega sua energia e consciência no sentido determinado pelos valores da ética espiritualista-transcendentalista.

A paz, a bondade, a fraternidade, a irmandade são manifestações das conseqüências benéficas da ética espiritualista agindo na psique de qualquer homem (moderno ou não-moderno). Enquanto no primeiro mundo a razão e o instinto são os motores e impulsionadores da realização humana, no segundo mundo a intuição, a fé e a sensibilidade são as bases e fontes do poder de construção e realização que operam o milagre de tornar o homem um fenômeno incomum por ser capaz de ser consciente de si e Positivo em si mesmo e, portanto, livre da tutela da ética materialista-utilitarista e seus valores morais negativos.


Na ausência da práxis da ética greco-cristã, temos hoje um mundo altamente progressista e competitivo em busca de bens materialistas porém extremamente carente e débil em bens espiritualistas. Devemos lembrar que Cristo nos alertou da existência e do impacto desses dois mundos quando afirmou: “Não podeis seguir a dois senhores”. Ele disse ainda: “Não podeis seguir a Deus e a Mamon [lucro]”...”Dai a Cézar o que é de Cézar – Dai a Deus o que é de Deus”.

Pensamento para o Dia 24/09/2009


“De tempos em tempos, o poder Divino assume numerosas formas. Nos devotos, ele brilha como o fogo da sabedoria (Jnana-Agni). Nos não-devotos, ele queima como o fogo da raiva (Krodha-Agni) ou o fogo do desejo (Kama-Agni). Hoje, o homem possui esse fogo (da raiva etc.) em seu coração e tornou-se uma vítima do medo e da ilusão. Todos os outros tipos de fogo acalmam-se no tempo devido, mas esses fogos (da raiva etc.) nunca cessam completamente. Eles podem inflamar a qualquer momento. Como, então, esses fogos são extintos definitivamente? O desapego (Vairagya) e o amor (Prema) são os dois requisitos para extinguir esses fogos. Somente através do amor o homem pode alcançar a paz.”
Sathya Sai Baba

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Pensamento para o Dia 23/09/2009



“O homem é uma parte da comunidade humana. A humanidade é uma parte da natureza. A natureza é um membro de Deus. O homem não reconhece essas inter-relações. Hoje, os homens estão esquecendo suas obrigações. O Cosmo é um organismo integral de partes inter-relacionadas. Quando cada um executa seu dever, os benefícios estão disponíveis para todos. O homem tem direito somente a cumprir suas obrigações, e não aos frutos delas. O homem é uma espécie de diretor de palco do que acontece na natureza. Mas, esquecendo de suas responsabilidades, o homem luta por direitos. É tolice lutar por direitos sem cumprir suas obrigações. Todo o caos e todos os conflitos no mundo devem-se ao fato de os homens terem esquecido suas obrigações. Se todos cumprirem seus deveres diligentemente, o mundo será pacífico e próspero.”
Sathya Sai Baba

terça-feira, 22 de setembro de 2009

A FÉ QUE ABANDONAMOS


    Inicío esse texto pensando em K. Marx. Ele afirmou: “Não é a religião quem faz o homem, mas o homem quem faz a religião. A religião é a consciênci de si que o homem perdeu ou não adquiriu ainda...A falta da verdadeira religião é o ópio do povo”. Fé e religião estão associados. O que é mais difícil na interpretação de um texto é compreender o contexto que o autor está querendo se referir. O mais fácil é distorcê-lo e divulgar a distorção como se fosse a própria verdade do autor. Existem muitas interpretações e também muitas distorções. Sem dúvida, não existe verdade maior do que aquela que nasce das camadas profundas da fé intuitiva, e por isso mesmo é indizível e intransferível. O original é a própria essência criadora que se manifesta sutilmente na consciência de cada ser humano. Creio que foi o próprio Marx quem afirmou que a tarefa da ciência era distinguir a essência da aparência. E que sem esse trabalho de separação, a ciência perdia a sua função de ser.

Mas A . EINSTEIN, que foi considerado o maior cientista do século XX, afirmou: “Estudem a fé”. O problema da verdade da fé era um norte de Descarte na busca da compreensão das verdades das coisas. E foi nesse caminho que Descartes aperfeiçoou o método científico. Ele mesmo afirmou que no início de sua busca ele não tinha a intenção de descobrir método algum, mas apenas revelar para si o mistério da verdade da fé. No final de sua busca nos mostrou o caminho que fez sintetizado no famoso método científico e relatado no também famoso livro Discurso sobre o Método.

Nesse sentido, a fé também está presente na ciência e foi a convicção nela, que muitos cientistas fizeram as suas grandes descobertas. A questão básica é essa: “Em qual fé esses homens se apoiaram para nos mostrarem a beleza de uma realidade invisível para os nossos olhos leigos e despreparados”. Isacc Newton não era ateu. Ele era místico também. Certamente aprendeu a ouvir a sua fé-intuitiva. Assim, o que se pode perceber que todos os homens (religiosos, cientistas ou místicos) que ajudaram a humanidade a dar um salto de consciência dos fenômenos físicos e metafísicos, de alguma forma aprenderam a separar e distinguir a fé aparente da fé essencial.

A fé aparente é a crença doxológica, ou seja, a crença comum baseada na cultura e nos modelos psicológicos impostos pela sociedade. A fé essencial é uma convicção profunda numa consciência que surge milagrosamente e inesperadamente em cada um. O próprio Cristo nos alertou quando afirmou: “Eu retornarei como um ladrão”. É algo que apanha cada um de surpresa. É o inesperado e portanto iluminado e grande em nós. Raros são os homens que conseguem desenvolver a fé essencial. A maioria se agarra à fé aparente e por isso sofrem as conseqüências do mundo das sugestões e crenças infundadas. A fé essencial é algo nobre que se revela no caráter das pessoas.

 Segundo ELLWOOD (1999: “A fé [essencial] não permite nenhuma discriminação ou injustiça, entre seus membros ou na sociedade, com base em credo, raça, sexo, orientação sexual, nível de escolariedade, riqueza ou pobreza relativas. Para cumprir esse ideal, todo cristão deveria ter um compromisso contínuo com o importante trabalho voluntário e não-remunerado, e deveria tentar ser um pacíficador sempre que possível” (p.32) .

Nenhum homem vive numa ilha pois é parte de um imenso continente humano. E a missão de cada um é revelar a beleza da fé essencial nas relações humanas. Infelizmente o mundo moderno deixou-a de praticar. A mística Alice Bayle afirmou: “O homem é um ponto de luz divina, envolto por numerosos envoltórios, como uma luz escondida numa lanterna. Esta lanterna pode ser fechada e escura, ou aberta e radiante. Tanto pode ser uma luz brilhante diante dos olhos dos homens, como uma coisa oculta, sem utilidade para os demais” (BAILEY, Alice A. Do Intelecto à Intuição. Niterói-RJ: Fundação Cultural Avatar, 1984).
-----------------------
 ELWOOD, Robert. “A Ética Cristã”. Revista Planeta. Edição 324 – Ano 27 – No 9 – Set.99.

Pensamento para o Dia 22/09/2009



“A fé pode crescer somente pelo cultivo prolongado e pela atenção cuidadosa. Tenha fé; a fé concederá tudo o que você precisa. Não há tarefa que Eu não possa realizar. Você tem fé no Senhor Rama e Krishna, já que leu livros escritos sobre eles. Você não exigiu provas diretas da Divindade deles, exigiu? Primeiro tenha fé e então você vai adquirir provas suficientes. Inicie a disciplina da recitação do Nome Divino. Por que prolongar sua existência como um mero consumidor de comida? Coma, mas transforme a comida em bons atos, bons pensamentos, fala doce. Aja, mas não cause dor aos outros ou aumente a sua miséria.”
Sathya Sai Baba

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Pensamento para o Dia 21/09/2009


“A doença - tanto física como mental - é uma reação do corpo causada pelos venenos na mente. Somente uma mente não-contaminada pode assegurar a boa saúde contínua. Os vícios geram doença. Maus pensamentos, maus hábitos e má companhia são ambientes férteis em que a doença prospera. Um sentimento de júbilo e exultação mantém o corpo livre da doença. Os maus hábitos que as pessoas cultivam são as causas principais da doença, tanto física como mental. A cobiça afeta a mente; as decepções tornam as pessoas deprimidas. Você pode justificar sua existência como um ser humano unicamente pelo cultivo das virtudes. Somente então você se torna um candidato digno de alcançar a Divindade. É o progresso na virtude que anuncia o progresso do homem em direção à Divindade. As virtudes também conferem vigor, habilidade e longos anos de plena juventude.”
Sathya Sai Baba

domingo, 20 de setembro de 2009

MENSAGEM DE CHICO XAVIER


"Nasceste no lar que precisavas,
Vestiste o corpo físico que merecias,
Moras onde melhor Deus te proporcionou,
de acordo com teu adiantamento.
Possuis os recursos financeiros coerentes
com as tuas necessidades, nem mais,
nem menos, mas o justo para as tuas
lutas terrenas.

Teu ambiente de trabalho é o que elegeste
espontaneamente para a tua realização.
Teus parentes, amigos são as almas que atraístes,
com tua própria afinidade.
Portanto, teu destino está constantemente
sobre teu controle.

Tu escolhes, recolhes, eleges, atrais,
buscas, expulsas, modificas tudo aquilo
que te rodeia a existência.
Teus pensamentos e vontades são a chave
de teus atos e atitudes...
São as fontes de atração e repulsão na tua
jornada vivência.
Não reclames nem te faças de vítima.
Antes de tudo, analisa e observa.
A mudança está em tuas mãos.
Reprograme tua meta,
busque o bem e viverás melhor".


" Embora ninguém possa voltar atrás e
fazer um novo começo, qualquer um pode
começar agora e fazer um novo fim ".

Egidio Vecchio – Mestre, Amigo e Humano



(http://www.flyed.com.br/egidio_vecchio.htm)

"Radicado no Brasil desde o ano de 1972, nasceu em Buenos Aires, Argentina, em 9 de junho de 1924. Doutor em psicologia, psicopedagogia e psicologia clínica. Pesquisador, professor, palestrante e escritor com várias obras publicadas, residia na cidade de Porto Alegre (RS), na qual estava à frente do Instituto Portal do Índigo e da Escola Brasileira de Reiki (EBR). Dedicado à psicologia clínica, atendia crianças e adolescentes índigos. Orientava pais e professores, ajudando-os a conviver melhor com seus filhos e alunos, de modo que estes pudessem desenvolver sua potencialidade tão especial. No Brasil, foi o responsável pela introdução da Análise Transacional de Eric Berne. Retornou ao mundo espiritual em 13 de julho de 2006, aos 83 anos de idade".

Quem foi Egidio Vecchio? Conheci Egidio Vecchio em 1988 durante uma crise espiritual. Guardo em minha memória uma pessoa maravilhosa. E com ele pude aprender que a nossa existência está inserida num vasto campo de energias sutis. Eu estava iniciando minha dissertação de mestrado, e o primeiro capítulo entreguei ao mestre Egidio para fazer uma crítica. O que ele me disse: "Bernardo, não vá pelo campo simbólico porque você vai se perder. Faça sua pesquisa pelo campo das energias sutis. Eu posso lhe emprestar o material que coletei em mais de vinte anos sobre tudo que se fala de energia". Confesso que sua personalidade e carisma me marcou profundamente. Ele transmitia paz e amizade. Foi um grande mestre da Análise Transacional e do Reiki.

Segue abaixo um poema que ele publicou em seu livro FIEL A TI:

"Um dia chegaste a meu consultório pedindo que eu te curasse
Nesse dia, eu te esperava, pretendendo curar-te.
Eram duas esperanças duas ilusões, duas necessidades
Eu necessitava confirmar que tanta ciência era eficaz.
Tratei-te, tecnicamente, como se fosses uma máquina
Com motores desajustados e peças soltas
Quis diagnosticar-te, colocar ordem em ti, modificar-te
Fracassei, fracassei, fracassei, fracassei
Tu procuravas um mágico que te desse receitas
Um doutor que te curasse, com pílulas ou com palavras
E eu te tratei quase como um objeto sem vida
Como uma coisa enferma, sem alma
Eu sabia, sabia, sabia muitas coisas...que tu necessitavas
Não te dei as pílulas que procuravas
Não pronunciei as mágicas palavras que esperavas
Fracassamos. Tu em tuas expectativas. Eu nas minhas.
Todavia não havia descoberto
Que a Terapia é função do Encontro
Todavia eu não sabia que não podia curar
E que, se te queria ajudar,
Antes devia esquecer minha ciência e meus doutorados
Para te ouvir, para te ajudar, para te amar,
Hoje já aprendi que na terapia
Não somos dois: Um doutor OK e um paciente Não OK
Somos uma mesma coisa no Encontro terapêutico
Eu sou tu, sentindo teu problema
Sem envolver-me nele
Tu és eu, vivendo uma nova experiência
Sem depender de mim.
Te aceito e me aceitas, me dou e te dás
Surge o diálogo, profundamente humano
Onde tu sabes e eu sei
Onde tu aprendes e eu aprendo
Onde eu te escuto para que tu possas escutar-te.
Onde o muito que sei é só para ajudar-te
Onde o muito que sabes te ajuda e me ajuda
A aprender mais.
Nosso diálogo não consiste em um mútuo falarmos
Consiste em escutarmos um ao outro
Calmamente, atenciosamente, profundamente
Quando aprendes a escutar a minha voz
Logo mesmo podes aprender a escutar tua própria voz
[...]Se queres aprender a viver
Desaprende o que aprendeste a não-viver
Condicionaram-te, condicionaram-te
Ensinaram-te a ser egoísta e a competir
Ensinaram-te como as feras, a matar para viver
Disseram-te que deves conquistar tua oportunidade
E nunca perdoar, e sempre desconfiar
E que não deves mostrar o que sentes
E que se és um lobo deves vestir pele de cordeiro
Teus pensamentos e teus sentimentos se tornaram divergentes
[...] Pais, educadores, sociedade, tradições
Cada um descarregou seu passado em ti
Vestes cada um desses modelos
Quando te comportas como eles te ensinaram
Mensagens de pureza branca
Mensagens negras de morte e suicídio
Mensagens cor-de-rosa, ingênuas,
Que só esperam Papai Noel
Vermelhas de raiva, esverdeadas de ódio
Amarelas de melancolia e tristeza
Cinzentas e apagadas com a depressão
Mensagens de angústia na competição
Portadoras de ansiedade na insegurança
Mensagens, mensagens, mensagens
Mil cores, mil estímulos, mil setas
Penetrando em tua mente nova
Não existas, Não penses, Não sintas".

Pensamento para o Dia 20/09/2009


“As pessoas imaginam que a espiritualidade significa meditar em Deus, banhar-se em águas sagradas e visitar santuários, mas esse não é o significado correto da espiritualidade. A espiritualidade consiste em destruir a natureza animal no homem e o despertar para sua consciência Divina. A espiritualidade pressupõe reconhecer que suas múltiplas capacidades emanam do Espírito, e não da mente, utilizando-as, então, para obter força espiritual. A espiritualidade significa reconhecer que todos os poderes vêm do Divino.”
Sathya Sai Baba

sábado, 19 de setembro de 2009

Pensamento para o Dia 19/09/2009


“Somente Deus, a encarnação do amor, está sempre com você e em você. Desprovido de amor, homem não pode existir. O amor é sua vida. O amor é a luz que dissipa a escuridão da ignorância. Aquele que não cultiva o amor nascerá repetidas vezes (Punarapi Jananam Punarapi Maranam). Todo aquele que nasce morrerá um dia e todo aquele que morre nascerá outra vez. O nascimento e a morte são os efeitos (Prabhava) do mundo objetivo. Como é iludido pelos efeitos, o homem está subjeito ao perigo (Pramada).”
Sathya Sai Baba

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

LEMBRE-SE: LEVANTE A CABEÇA PARA O ALTO - VOCÊ É TAMBÉM FILHO DE DEUS!


Bernardo Melgaço da Silva

Mesmo que um calhorda lhe dê um pontapé no traseiro. Curve-se, respire profundamente, silencie e incline a "cabeça para o alto".

Mesmo que um cão-humano lhe morda as suas nádegas. Curve-se, respire profundamente, silencie e incline a "cabeça para o alto".

Mesmo que um mestre de besteirol tente desqualificar, desrespeitar ou desvalorizar suas sinceras argumentações. Curve-se, respire profundamente, silencie e incline a "cabeça para o alto".

Mesmo que um idiota transforme suas palavras em carniça e jogue aos urubus. Curve-se, respire profundamente, silencie e incline a "cabeça para o alto".

Mesmo que os acadêmicos dos saberes lhe dobre abaixo da "linha do equador", humilhando-o. Curve-se, respire profundamente, silencie e incline a "cabeça para o alto".

Mesmo que um “santo imbecil” rejeite e jogue de volta as pérolas de sabedoria do Amor que com inocência divina você lhe ofereceu. Curve-se, respire profundamente, silencie e incline a "cabeça para o alto".

Mesmo que um policial da liberdade (in)consentida interrompa o seu caminho e movimento. Curve-se, respire profundamente, silencie e incline a "cabeça para o alto".

Mesmo que os seus ditos "amigos" lhe ofereçam veneno como prova e reconhecimento de sua "grande (in)amizade". Curve-se, respire profundamente, silencie e incline a "cabeça para o alto".

Mesmo que o seu gesto humano seja pervertido pelas mentes hipócritas destituídas de valor e sacralidade. Curve-se, respire profundamente, silencie e incline a "cabeça para o alto".

Pois, se assim fizeres estarás reconhecendo humildemente um provável "erro" seu. Mas, muito mais do que isso você estará provando para você mesmo que o valor da vida está em reconhecer que nessa vida aprendemos com quem nos ensina de Verdade.

MORAL DA HISTÓRIA: Mesmo que você esteja "errado", o fato de você ter respirado profundamente, silenciado e levantado a "cabeça para o alto" fez de você uma pessoa iluminada. Enquanto o outro mesmo estando "certo" e por não ter executado esse mesmo "ritual" se tornou um homem cego para a verdade maior de Deus-Pai.

CONCLUSãO: A sabedoria da vida é saber executar com disciplina o "ritual" certo, independente do que venhamos fazer inconscientemente aqui embaixo. Aqui vai um conselho:

SILENCIE O SEU EGO E INCLINE A "CABEÇA PARA O ALTO", POIS NO "ALTO" ESTÁ DEUS OLHANDO PARA TODOS NÓS EM SEU PROFUNDO SILÊNCIO. E TODAS AS VEZES QUE VOCÊ OLHAR PARA ELE VOCÊ SE TORNARÁ UM POUQUINHO MAIS ILUMINADO. ISTO PORQUE SOMENTE DEUS ILUMINA DE SABEDORIA A CONSCIÊNCIA HUMANA. ESSA É A PRINCIPAL RAZÃO DE ESTARMOS AQUI EMBAIXO APRENDENDO. ENTENDEU!

Obs.: Agradeça sempre a Deus a existência dos:

Calhordas, cães-humanos, mestres do besteirol, acadêmicos dos saberes, santos imbecis, "amigos-traidores", policiais da liberdade, mentes hipócritas, porque sem eles dificilmente você silenciaria seu ego e inclinaria a sua "cabeça" para o verdadeiro mestre da vida: Deus.

Esses "monstros" foram colocados no teu caminho para serem também os seus mestres da humildade ao "avesso". Aceite! E siga em frente perdoando e aprendendo sobre a verdade maior que liberta para sempre:

Você é também Filho de Deus!

EMDR para controle emocional - Técnica pode tratar estresse pós-traumáticos e medos




Por Minha Vida Publicado em 11/9/2009 - YAHOO
(http://yahoo.minhavida.com.br/conteudo/10129-EMDR-para-controle-emocional.htm)

O que é EMDR? (Eye Movement Desensitization and Reprocessing)

Uma das técnicas mais modernas no tratamento psicológico. Foi criada na década de 80 pela americana e psicóloga Francine Shapiro. Através de movimentos oculares e estímulos bilaterais específicos (dos hemisférios cerebrais) há uma dessensibilização e uma reprogramação (reprocessamento) mental. As vivências, lembranças e sensações do passado, quando traumáticas, ficam registradas na mente de forma negativa e cheias de dor. Através do EMDR é possível que haja uma mudança significativa nas lembranças do passado ao invés de ficarem armazenadas de forma negativa no pensamento.

Como funciona EMDR?
Com o uso da técnica e dos exercícios, em pouco tempo, a pessoa que passa pelo processo tem a sensação de maior segurança no controle emocional. Os fatos perturbadores e traumáticos são sentidos de forma mais leve e é possível ter uma perspectiva mais otimista e alegre da vida. Certamente, essa superação é uma conquista para o processo de desenvolvimento pessoal. O passado deixa de ser tão negativo, o presente se torna melhor e o futuro passa a ser visto com mais opções, cheios de novas possibilidades para se viver bem a vida. É possível desejar melhores coisas para si e para os outros.

Objetivo
O objetivo do EMDR é mudar a forma com se pensa de um fato passado ruim, deixando de forma mais amena e mais simples aquilo que já foi. Fatos passados negativos precisam de elaboração mental. Com o EMDR é possível uma mudança e transformação do que não está bom e que não é adequado para o presente. O que aconteceu de negativo faz parte do passado e realmente pode ficar para trás, não há necessidade de permanecer na mente no momento atual. E, além disso, é possível ficar mais distante daquilo que já foi. O EMDR ajuda as pessoas a resgatar a felicidade, o bem estar, a alegria e o autocontrole das emoções. Com isso, é possível prosseguir de bem com a vida. Você certamente pode ficar mais confiante, mais seguro com você mesmo.

O EMDR pode tratar:

Ansiedade e depressão
Insegurança.
Medos, traumas e fobias.
Estresse pós- traumático (situações decorrentes de abuso, seqüestro, acidentes, assalto, luto, etc).
Problemas de relacionamento pessoal.
Baixa auto-estima.
Transtornos do sono.
Compulsão alimentar (obesidade).
Desenvolvimento de Excelência - Instalação de recursos positivos e melhorias no desempenho pessoal e profissional.

A técnica de EMDR, auxiliada a outras técnicas diferenciadas, como Coaching de Vida, Hipnose Ericksoniana, PNL (Programação Neurolinguistica) e Novo Código (atualização) da PNL são usadas em sessões de consultoria especifica. Durante as sessões são feitos exercícios utilizando essas técnicas especificas, que vão muito além de "informações básicas" e auxiliam no autoconhecimento, conquista de desenvolvimento pessoal e profissional, confiança em si mesmo, melhoria da qualidade de vida. Certamente você poderá se conhecer melhor, deixar as experiências negativas mais leves, viver melhor o presente e ser bem sucedido e realizado no futuro.

Pensamento para o Dia 16/09/2009


“Um bambu é valorizado por sua espessura e sua altura. A cana-de-açúcar possui valor pelo seu suco. O valor de um ser humano baseia-se em seu intelecto (Buddhi). Quanto mais a pessoa desenvolve o intelecto, melhor ela se torna. Quando o intelecto declina, o ser humano desce ao nível animal. O valor do homem decaiu, atualmente, porque ele não reconhece a importância do intelecto e da conduta baseada no discernimento adequado. A forma é humana, mas o pensar está no nível animal. O homem merece a denominação de "animal de duas patas". Tendo conquistado a forma humana, o homem deveria se conduzir com inteligência. Isso é alcançado através da renúncia (Thyaga) e da disciplina espiritual (Yoga).”
Sathya Sai Baba

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Pensamento para o Dia 15/09/2009


“Desapego, fé e amor – esses são os pilares sobre os quais a paz assenta. Desses, a fé é decisiva, pois sem ela toda a disciplina espiritual é inútil. Somente o desapego pode tornar efetiva a disciplina espiritual; o amor é o que conduz a pessoa rapidamente a Deus. A fé nutre a agonia da separação de Deus, o desapego a canaliza ao longo do caminho de Deus, e o amor ilumina o caminho. Deus lhe concederá o que você precisa e merece; não há necessidade de pedir e nem razão para se queixar. Esteja contente. Nada pode ocorrer contra Sua vontade.”
Sathya Sai Baba

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Pensamento para o Dia 14/09/2009


“Qual é o significado de ‘Limite aos Desejos’? As pessoas são enganadas pelos desejos ilimitados e vivem num mundo de fantasia. O mais importante é que cada um mantenha os desejos sob controle, coloque neles um limite. As pessoas estão gastando dinheiro demais. Em vez de gastar desordenadamente para seu próprio prazer, uma pessoa deveria usar seus recursos financeiros para o alívio dos pobres e dos necessitados. Esse é o significado do Programa ‘Limite aos Desejos’. Não cometa o erro de pensar que doar dinheiro é tudo o que é necessário, doando aos outros enquanto permite que seus próprios desejos continuem a se multiplicar. Reduza seus desejos, pois os desejos materiais levam a uma vida inquieta e desastrosa. Os desejos são uma prisão. A pessoa pode se libertar somente através do limite a seus desejos. ”
Sathya Sai Baba

domingo, 13 de setembro de 2009

Estar em si: Se conheça para ser feliz



Por Minha Vida Publicado em 11/9/2009
(http://yahoo.minhavida.com.br/conteudo/10126-Estar-em-si.htm)
Será que você sabe realmente quem você é? Muitas vezes estamos dando o melhor de nós, mas não estamos satisfeitos com o que conseguimos. Isso acontece porque quando não nos conhecemos interiormente, o melhor de nós é muito pobre, muito vazio. Muita gente olha para os filhos, esposa, bens materiais e acha que a resposta está neles. Quando isso acontece, sua imagem perde a referência, você vira personagem da vida alheia. Começamos a inventar desculpas para nossas impossibilidades.

Você começa a estar em si quando percebe que tudo na sua vida depende de você, sua felicidade, sua emoção e sua razão. Estar em si é encontrar paz nos momentos difíceis da vida, é silenciar num momento de incompreensão do outro. É aceitar e compreender a visão de vida de cada pessoa, entender que todos somos iguais sim, mas com pontos de vista e escolhas diferentes.

Estar em si é não ter medo de demonstrar emoção, de chorar quando sentir vontade, com medo que as pessoas achem que você é fraco. É sentir na alma a decepção, mas ter a consciência de que o mundo não acabou. É entender que cada experiência é uma nova lição.

É aprender a curtir ao máximo as pessoas que amamos, pois a perda é inevitável. É ter a humildade para reconhecer os erros, e a sabedoria para crescer com eles. É não cobrar atitude de pessoas que você sabe que não estão preparadas para tal. É dar uma chance a si mesmo em cada novo desafio, e entender que desafios são degraus de subida e não barreiras que devem ser derrubadas. É entender que o fracasso não existe, mas sim, que você aprendeu que ?aquela? maneira de agir não funciona.

Quem está em si mesmo ama livremente, sem cobranças, protegendo suavemente, sem esperar nada do outro, a não ser sua felicidade. Quem está em si mesmo, sabe que antes de amar o outro, precisa amar-se. É saber que não são os outros que lhe magoam, mas sim, que você se "deixa magoar".

É prosseguir sempre, é crescer sempre, é aprender sempre, tendo a humildade suficiente para enxergar e respeitar as diferenças de comportamentos daqueles que não estão no mesmo caminho. É saber que apesar de tudo, apesar da hipocrisia de muitos, apesar do medo de amar e ser amado, apesar de muitos prenderem seus sentimentos mais puros em nome da moral e bons costumes, apesar de todas as ilusões que as pessoas enfrentam e vivem, a vida vale a pena sim.

Estar em si mesmo é ter a real convicção da própria vida, da vida das pessoas, do amor que esta envolta dos corações deprimidos procurando uma brecha para brilhar sua Luz e ascender para um novo mundo. O seu mundo!

Pensamento para o Dia 13/09/2009



“As visões são somente reflexos das vibrações Divinas na mente, despertadas pela prática espiritual (Sadhana). Elas são marcos, indicações, e acontecem na estrada rumo à meta. Elas não podem acompanhá-lo até o fim. Você precisará viajar sozinho e superar os obstáculos. Sua própria graça é a ajuda mais importante e essencial para o progresso espiritual. Eu posso conceder-lhe a graça ilimitada, mas qual é a utilidade dela se seu coração não estiver limpo e se sua cabeça estiver cheia de ego? Limpe seu coração com o amor (Prema) e elimine o ego através do serviço.”
Sathya Sai Baba

sábado, 12 de setembro de 2009

PENSAMENTO PARA O DIA 12/09/2009



“A palavra ‘Vairagya’ significa literalmente aquilo que é oposto a ‘Raga’ (apego). ‘Vairagya’ não quer dizer que você deveria abandonar tudo e se retirar para uma floresta. ‘Vairagya’ significa realmente que você deveria permanecer onde está, seja qual for a fase de sua vida, e entender a natureza sutil das coisas, abandonando os desejos mundanos. Isso significa que, com o uso do discernimento, você deveria saber o que aceitar e o que rejeitar. Você deveria esforçar-se para reconhecer a Divindade em cada objeto que você vê e desfruta. ‘Vairagya’ não significa simplesmente abandonar as coisas, mas consiste em desfrutar sem apego as coisas que anteriormente eram desfrutadas com apego. Este é o verdadeiro significado de ‘Vairagya’. Esta é a marca de um verdadeiro ser humano.”

Sathya Sai Baba

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Pensamento para o Dia 11/09/2009


“Não há exercício espiritual (Sadhana) maior que o serviço. O serviço é o princípio necessário para alcançar a graça Divina. Sem ser um servidor dedicado, você não pode tornar-se um líder digno. Se não está disposto a fazer serviço, você não pode alcançar a Divindade. Todos precisam compreender essa verdade. O serviço à sociedade é o bem mais elevado. Verdade, Retidão, Paz, Amor e Não-violência concedem a felicidade. Eles são os cinco princípios que sustentam a vida. Esses princípios não devem ser afastados ou abandonados sob circunstância alguma. Preste serviço à sociedade com esses princípios em sua mente e com dedicação generosa ao bem-estar de todos.”
Sathya Sai Baba

A FELICIDADE E A ESCALA DA SANTA MÃE EVOLUTIVA


 Para CLAUDE, SOCORRO MOREIRA e LIDUÍNA-  em resposta aos seus belos comentários, decidi refletir e comunicar um texto sobre a FELICIDADE de Roberto Shiryashiki, e  as minhas percepções mais profundas sobre as duas forças-energias cósmicas ( segundo a minha visão e experiência interior)  que guiam ou governam o ser humano.
De Roberto Shiryashiki
 “Quando era criança me sentia muito limitado, existiam tantas coisas que queria fazer e não podia. Quando me sentia frustrado pensava que no dia em que entrasse na escola, seria muito feliz. Tudo daria certo, passaria a ser mais respeitado e não teria mais problemas. Quando entrei no primário, percebi que os problemas continuavam e eu não tinha me tornado feliz.
                 Pensei que ao entrar no ginásio seria totalmente feliz, e constatei também que não era assim. Mais uma vez adiei, joguei para frente a minha expectativa de felicidade total. Imaginei que quando entrasse no colegial então finalmente seria feliz. No colegial os problemas continuaram. Ah! Mas quando eu entrasse na faculdade de Medicina a felicidade seria inevitável! Triste frustração! Os problemas continuavam e a angústia aumentou. Imaginei que quando me tornasse médico seria totalmente feliz. Teria poder, as pessoas me respeitariam e tudo daria sempre certo para mim.
                 Acabei percebendo que não era desse jeito que a vida funcionava. Não tinha um momento definitivo de felicidade. Imaginei que a felicidade não existia.
                Descobri que as pessoas diziam que não existia a felicidade, existem apenas os momentos de felicidade e nós temos que aproveitá-los para poder curtir a vida, o melhor possível!
                Então pensei; É isso mesmo! Nos momentos em que vivia o amor com alguém ou conseguia uma vitória no trabalho eu me sentia bem. Felicidade devia ser algo por aí. Esses momentos me davam a sensação de ser uma pessoa feliz, mas depois de algum tempo percebia que faltava alguma coisa mais, não era possível que fosse só isso. Tanta luta para tão pouco prazer.
                Em 1986, minha vida funcionava muito bem. Tinha conquistado tudo o que havia imaginado que me tornaria feliz, mas vivia frustrado. Ficava me perguntando se a vida era só isso. Uma coletânea de filmes de momentos...Como sempre fui muito religioso, não acreditava que o criador ia me mandar para essa viagem por tão pouco. Deveria haver algo mais, e assim decidi ir para o Oriente, conversar com os mestres e saber, o que eles pensavam a respeito da felicidade.
                Fui para Nepal, mais exatamente para Katmandu, a um mosteiro budista para descobrir o segredo da felicidade.
                Chegar em Katmandu, é uma epopéia. Um avião até Londres...outro de Londres para Nova Delhi...e mais até Katmandu.
                Sabia através de um amigo de um mestre naquele lugar. Encontrei um homem e fui procurar o mosteiro. A pessoa na portaria que me atendeu disse que o mestre iria me receber na manhã seguinte, às nove horas.
                Nessa noite praticamente não dormi, fiquei excitado frente a possibilidade de ter revelado o segredo da felicidade. Saí de madrugada do hotel da esperança do mestre estar disponível e poder conversar comigo mais cedo. Fiquei lá esperando até que ao redor das nove horas uma mulher que falava inglês com sotaque de francesa, entrou na sala.
                Exultei imaginando que ela me levaria até o mestre.
                Ela me acompanhou até uma sala, estendeu uma almofada e falou-me para sentar. Em frente a mim sentou essa moça francesa. Era uma moça muito bonita, morena, jovem e eu falei:
                - Eu quero ver o mestre!
                E ela respondeu:
                - Eu sou o mestre.
                Aí pensei: vou fazer uma pergunta muito difícil para que ela não saiba a resposta, então tenho certeza de que vai me levar até o mestre de verdade.
                - Fiz uma pergunta, a mais difícil que pude pensar na hora:
                - O que é budismo?
                E ela me respondeu tranqüilamente:
                - A base do budismo é que todo ser humano sofre.
                Pensei comigo mesmo: não é possível, eu saio da nossa cultura ocidental que diz que o sofrimento é a base da purificação e da sabedoria e vim para cá para escutar que a base do budismo é o sofrimento! Mas não satisfeito pensei: vou fazer uma pergunta mais difícil para que ela não saiba a resposta e me leve até o verdadeiro mestre.
                - E por que os seres humanos sofrem?
                - Porque são ignorantes.
                Bem, se eles são ignorantes deve ter alguma coisa que não sabem e que talvez seja a resposta que eu estou procurando.
                - E qual é o conhecimento que nos falta?
                - O conhecimento que nos falta é a compreensão de que as coisas da nossa vida são dinâmicas e fluidas. Quando ser humano estar feliz, ele bloqueia a felicidade, pois quer a eternidade para aquele momento. Então ele fica rígido com medo do fim do prazer.
                Quando está infeliz pensa que o sofrimento não vai terminar nunca e mergulha na sombra e, assim, amplia sua dor.
                A vida é dinâmica, como as ondas do mar. É tão certo a subida quanto a descida. Cada momento tem a sua beleza. No prazer nós expandimos e na dor nós evoluímos. Um movimento é complementar ao outro. Saber apreciar a alegria e a dor na sua vida é a base da felicidade. Você não pode ser feliz somente quando tem prazer, pois perderá o maior aprendizado da existência. Você deve descobrir um jeito de ser feliz na experiência dolorida, porque essa experiência carrega dentro dela a oportunidade de muito aprendizado.
                Não curta somente o sol, aproveite também a lua. Não curta somente a calmaria, aproveite a tempestade. Tudo enriquece a vida. Ela não pode ser vivida somente dentro de uma casa, a vida tem que ser experimentada dentro do universo.
                A felicidade é um jeito de viver, é uma postura de vida, é uma maneira de estar agradecido a tudo, não somente ao sol, mas também a lua; não somente grato a quem lhe estende a mão, mas também a quem lhe abandona, pois certamente nesse abandono existe a força dentro de você.
                A felicidade não é o que você tem, mas o que faz com isso. Por isso existem pessoas que têm muitos bens materiais, um grande amor, filhos lindos e apesar disso se sentem angustiadas e depressivas.
                Apaixonado por ela, somente consegui balbuciar antes de sair:
                - Obrigada mestra! (Quase que o meu preconceito a respeito do sexo do mestre me afasta dessa lição de vida).
                A felicidade não é o que acontece em sua vida, mas como você elabora esse episódio. A diferença entre a sabedoria e o desespero, o sábio e o desesperado, é o que o sábio sabe aproveitar as suas dificuldades para evoluir e o desesperado sente-se vítima dos seus problemas.
                A felicidade é uma experiência que está diretamente ligada a sua sabedoria, e certamente para nós criarmos um planeta mais feliz, precisamos muito mais de sábios do que de gênios”.
Roberto Shiryashiki - Escritor, consultor e Presidente do Instituto Gente / Artigo publicado na Revista RH em síntese Jan/Fev/97.
----------------------------------------
Bernardo Melgaço da Silva
Todos nós devemos estar atentos que a vida nos empurra todos os dias para o crescimento e sucesso (aqui no sentido mais amplo do que o material apenas – sugiro assistir documentário de Deepak Chopra sobre as 7 leis espirituais do sucesso)...mesmo que não tenhamos a mínima consciência disso...a lei da vida criadora e (Santa- Mãe ver figura acima)evolutiva não espera que fiquemos pronto para entender o que está e vai acontecer....essa lei-mãe só tem um sentido: te empurrar, com seu aval, para frente com dor ou com Amor...mas lhe permite escolher entre um e outro caminho.
 A disciplina de cada um material-espiritual é a decisão individual ou coletiva escolhida. Aprendi vivendo diretamente que existem duas forças cósmicas agindo (o TAO dos chineses)no interior humano: as forças da terra (que são nossos impulsos e valores mais instintivos - são os nossos traços-fardos), e as  forças do "céu" (supra-física) (que são nosso impulsos e valores supra-humanos - são nossas verdadeiras forças não instintivas e supra-racionais)).
A nossa capacidade de concentração e acumulação de energia é que vai determinar como estamos disciplinados num caminho ou no outro. Assim, se estamos disciplinados em captar e absorver apenas os impulsos do mundo externo a nossa razão estará cativa desses impulsos numa simbiose e círculo vicioso: nos tornamos presos como um pássaro na gaiola...cantamos para o mundo mas esse canto é de angustia, vazio, desespero e pedido de socorro – pois nesse caminho não somos e nunca seremos felizes de fato.
Daí, vem a causa do estresse ontológico (fora do caminho de felicidade) pois nos comportamos como uma galinha desconhecendo o poder que temos de uma águia (idéia de Leonardo Boff em seu livro a águia e a galinha). Ou seja, não vamos a lugar nenhum da felicidade e da transcendência de si. Ficamos a deriva buscando loucamente quem nos diga qual é a seta correta do caminho. Mas, infelizmente, a razão não tem poder para isso....somente a vivência (através da sensibilidade intuitiva) através de um disciplina impecável pode devolver ao homem em sua escuridão da consciência o seu inédito caminho de iluminação, salvação, libertação na transcendência do caminho mal escolhido.
Então, precisamos de sair dessa Crise de Percepção (Fritjof Capra no livro O Ponto de Mutação). Pois, o velho (os impulsos instintivos da "galinha") não morreu, e o novo ainda não nasceu (o poder supra-normal da "águia"). As nossas escolas se afastaram dessa filosofia basicamente oriental. E as nossas universidades esqueceram também da educação para a vida maior - estão preocupadas em revelar o mundo exterior da vida objetiva e do trabalho necessário e pouco se dedicam a revelação do mundo interior e do trabalho (e ciência interior) de sacro-ofício sagrado para a iluminação humana via intuição.
Segundo SCHUMACHER - Economista e escritor alemão (pouco conhecido aqui no Brasil) que publicou o excelente livro “Um Guia para os Perplexos”- a natureza humana está inserida numa escala evolutiva da vida e da consciência conforme se segue abaixo:
a)            Nível 1 – reino mineral = “m”;
b)           Nível 2 – reino vegetal = “m + x”;
c)            Nível 3 – reino animal =  “m + x + y”;
d)           Nível 4 – reino humano (consciência racional) = “m + x + y + z”;
e)           Nível 5 – reino supra-humano (consciência de si ...supra-racional intuitiva) = m + x + y + z + w”.
Nesse contexto, evoluímos e incorporamos os traços-impulsos dos reinos anteriores ou inferiores, por isso agimos contra as forças ou traços superiores que nos puxam para a subida, e ainda assim temos potencialmente a semente de um novo devir em processo da Santa Mãe Evolução. Não somos ainda, mas estamos construindo uma nova consciência num novo degrau de evolução para sermos o que ainda nem imaginamos o que poderemos ser de fato. E isso, depende de cada um num novo e inédito processo de aprendizado ou disciplina de aprimoramento ético-espiritual com as energias-consciências na passagem de um degrau para outro. O exterior (ciência, religião, filosofia e outros saberes) apenas nos induz racional e culturalmente a possibilidade de crescimento e evolução, mas o esforço e a decisão de seguir ou não depende apenas de cada um em seu propósito de vida e sucesso: material e/ou espiritual.
O Caminho certo é o caminhar consciente da disciplina que está se fazendo – o caminhar é pessoal e só se descobre O CAMINHO caminhando! Por isso, Cristo afirma com sabedoria: “Eu Sou o Caminho, a Verdade e a Vida” siga-O! ou então escolha outro guia de sua preferência (p.ex.: Sai Baba).
Essas reflexões são produtos de uma longa experiência com minhas energias físicas e metafísicas. Quem tiver ouvido, ouça – diria o mestre dos mestres Jesus Cristo.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

A ÁRVORE E A SEMENTE DE UM NOVO DEVIR


Bernardo Melgaço da Silva
Certa vez um pássaro pousou sobre um galho de uma enorme árvore numa floresta. Em seu bico carregava uma pequena semente, e por um descuido deixou-a cair lá de cima. A pequena semente ao cair se chocou contra o chão. E meio atordoada procurou se refazer do susto. Em seguida, ainda assustada olhou para a árvore imensa e disse: “Senhora árvore, por favor me ajude. Eu não sei me defender. Tenho medo de ser comida e morrer. Vejo que a senhora é muito alta, forte e experiente”.

Então a árvore respondeu dizendo: “Querida semente tu és muito pequenina, mas não tenhas medo que farei balançar os meus galhos de modo a saltar algumas folhas sobre ti e assim estarás salva dos predadores que existem nessa floresta. Eu tenho mais de um século de experiência”. E assim fez se balançar e várias folhas cairam sobre a semente de tal forma que ainda sobrou um pequeno buraco para a semente respirar e olhar para a grande árvore.

A semente agradeceu e dirigiu-se novamente para a árvore e disse: “Puxa vida – cem anos! Por favor, gostaria que me dissesse como é ser um dia uma árvore grande, forte e bonita como a senhora?”. A árvore com muita doçura respondeu: “Querida semente és muito pequenina ainda para compreender essas coisas. Mas, mesmo assim direi algo de instrutivo. Eu sou uma espécie de árvore entre milhares e milhares delas que existem por aí na floresta. Mas, todas - inclusive você será também assim um dia! - são constituídas de três partes básicas: a raíz, o tronco e a copa. Todas elas têm um duplo crescimento: um em direção às profundezas do chão e o outro em direção ao firmamento do céu.

Em outras palavras, uma parte sua estará enraizada na escuridão do mundo do chão-terra e a outra estará buscando luz, energia e claridade na imensão do cosmos. Somos assim, ou seja, temos dois impulsos de crescimento. Um nos puxando para baixo que é individual e o outro nos puxando para cima que é universal e holístico. Essa situação nos põe em conflito porque são duas forças que nos remetem para lados opostos.

O mundo do chão é escuro, ás vezes úmido, ás vezes seco, muitas das vezes duro, sofrido e bastante concreto. Esse crescimento é a base de nossa estrutura física. Por isso, temos que escolher com cuidado e prudência as substâncias e os alimentos que a natureza desse mundo nos oferece. Terás momento de fome, sede, calor, frio e solidão. A noite ficarás no escuro e de dia serás aquecida pelo sol; no verão serás alagada pelas águas da chuva; no inverno serás coberta de neve. O cupim e o homem são os nossos maiores predadores, por isso não guarde seu tesouro na terra mas no céu. Mas, não se preocupe porque o nosso criador nos criou com sensibilidade para nos protegermos e selecionarmos as coisas boas sem errar. Nada é dado, mas tudo é conquistado com perseverança, disciplina e mérito. O teu esforço pessoal é o caminho para a sua fortaleza no mundo interior do chão. Nunca se esqueça de cuidar da parte superior da copa que liga você ao mundo transcendente do céu. Ela é extremamente importante tanto quanto a parte de baixo da raíz.

Terás um desafio muito grande que é alimentar a raíz fortalecendo-a a cada dia, e ao mesmo tempo voltar-se – através da contemplação interior - constantemente para a luz transcendente do sol da vida maior. Agradeça sempre esse aprendizado porque é uma síntese da lei da vida criadora. Terás momentos difíceis e penosos principalmente quando a espécie humana se aproximar de ti.

Muitos deles perderam a sensibilidade e não nos enxergam como fonte sagrada da mãe-natureza, mas apenas como objetos de uso e troca para o crescimento de suas riquezas egoístas. E mesmo que os homens lhe ataquem com serras, martelos, foices, facôes e palavras de ordem agressivas entenda que a sua missão é servir com Amor e morrer em vida dando sombras, frutos, alimentos, abrigos e água através de suas raízes e copas. Fazemos parte de um grande sistema da vida em busca do equilíbrio cósmico.

A vida é uma árvore que deverá dar bons frutos; os homens são também como árvores. Muitos deles vivem presos dentro do chão na escuridão da consciência e não percebem o valor da copa e da luz do céu. Um dia o homem perceberá um pouco tarde que todo o mal que pratica está na raiz da consciência. Nesse dia, novas sementes crescerão orientadas pelo céu de um novo tempo e devir. Aceite ser transformada no altar da vida amorosa: é a Lei Dhármica!.

Assim, se conscientize de uma vez por toda que uma árvore evoluída precisa se fundir com a imensidão da floresta conquistando assim a sua nova identidade, salvação e libertação das raízes do limitado ego. E não existe outra forma que nos explique porque precisamos servir e vir-a-ser nesse mundo: ser essência divina criadora.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Pensamento para o Dia 09/09/2009



“Esteja consciente de que todas as coisas pertencem a Deus. Por isso, ninguém pode reivindicar algo como sendo seu. Mas as pessoas reivindicam tudo, dizendo “isso é meu”. As pessoas estão imersas no conceito falso e tolo de posse; o sentimento de posse está descontrolado em cada pensamento e em cada ação, o que leva ao aumento do ego. O egoísmo precisa ser totalmente erradicado. O sentimento de posse deveria ser banido. Você chegou com as mãos vazias e voltará com as mãos vazias.”
Sathya Sai Baba

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Pensamento para o Dia 08/09/2009


 “Através da companhia sagrada (Sathsang), você desenvolve liberdade em relação à desilusão e, logo, você desenvolve a fé na Verdade e, assim, alcança a própria liberação. Assim como os elefantes mansos rodeiam o selvagem e o prendem antes de amansá-lo, o buscador espiritual trará o cético para perto de si. A companhia do bom e do religioso disciplinará lentamente e limpará as pessoas com propensão para se afastar do caminho reto rumo à auto-realização.”
Sathya Sai Baba
--------------------------
 “Deus responderá a suas orações por socorro somente quando você responder com simpatia às necessidades dos outros. A vida não deveria ser desperdiçada em atividades egoístas, que não considerem a aflição dos outros e sejam insensíveis a seus gemidos. Trate alegria e dor igualmente: de acordo com o Senhor Krishna, isso é equanimidade. Pratique essa equanimidade – esse é o modo de conquistar Sua Graça. Você pode não ser recompensado materialmente por seus atos compassivos, mas não há recompensa maior do que a alegria que você obtém por aliviar a dor dos outros.”
Sathya Sai Baba
 ----------------------------------------
 “Você deveria estar preparado para enfrentar cada desafio da vida com coragem. A coragem é a chave para o sucesso. A vida está destinada a oferecer todos os tipos de dificuldades, mas você não deveria se acovardar diante delas. Enfrente cada provação com coragem. Atualmente, as pessoas ficam facilmente deprimidas e confusas quando encontram dificuldades. A depressão leva à frustração. Essa não é a maneira de enfrentar os desafios da vida. Você deveria desenvolver a coragem para atravessar a aventura da vida. Apegue-se à verdade, nutra o amor em seu coração, cultive a coragem e enfrente a vida com determinação firme e visão equilibrada. Uma vida assim resultará em realização. As recompensas da vida só podem ser recebidas através do esforço árduo.”
Sathya Sai Baba

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Pensamento para o Dia 07/09/2009


“O ser humano esquece sua verdadeira natureza por causa do apego e do egoísmo. Ele deveria desenvolver a fé inabalável em Deus. A fé deveria ser como sua respiração vital, que continua sem cessar e sem repouso. A respiração continua independente de qualquer trabalho que você possa estar fazendo e do estado de sua mente. Do mesmo modo, em todas as situações e a toda hora, sua fé em Deus nunca deveria abandoná-lo. Ela não deveria mudar conforme seus desejos sejam realizados ou não. Assim como sua respiração vital, sua fé deveria permanecer firme, através de alegria e tristeza, perda e ganho, dor e prazer. Trate tudo o que aconteça como bom para você. Desenvolva tal sentimento de coragem.”
Sathya Sai Baba

sábado, 5 de setembro de 2009

AGORA É SOMENTE VOCÊ!


Bernardo Melgaço da Silva
Antes era o outro o calhorda
Antes era o outro o idiota
Antes era o outro o mestre do besteirol
Antes era o outro o santo imbecil
Antes era o outro o "amigo-traidor"
Antes era o outro o policial da liberdade
Antes era o outro o de mente hipócrita
Antes era somente o outro

Agora é somente VOCÊ!

O que fazer?

Na vida têm o antes e o depois
Na vida têm a vitória e depois a ilusão
Na vida têm a mudança do SER
Agora é somente você em você

O que fazer?

Na vida têm a fábula dos contos
Na vida têm a história dos romances
Na vida têm o drama de VIVER
Agora é somente você em você

O que espera fazer?

Na vida têm a vitória da conquista
Na vida têm a revelação da verdade
Na vida têm a morte do SER
Agora é somente você em você

O que pretende fazer?

Na vida têm as glórias da fama
Na vida tem a penúria da miséria
Na vida tem a verdade do VER
Agora é somente você em você

O que imagina fazer?

Na vida têm as mentiras dos falsos sábios
Na vida tem a face oculta do ser
Na vida tem a consciência do DIZER
Agora é somente você em você

O que deseja fazer?
Na vida têm a ida e a volta
Na vida têm a ação e a reação
Na vida têm a ofensa e o PERDÃO
Agora é você em você

O que deixará de fazer?

Na vida tem o desejo de viver
Na vida tem o perigo de ser
Na vida tem o encontro no MORRER
Agora é você que vê o outro em você

O que evitará fazer?

Não dá para fugir
Não dá para se esconder
Não dá para não se envolver

Desculpe meu amigo
Esse é o meu drama que um dia você também vai ter que viver

Não é algo que possa se desfazer
Não é uma roupa que se possa retirar
Não é um sapato que se possa descalçar
Não é um dente que se possa arrancar

Diga-me quando isso acontecer com você: o que você vai fazer?

Você não vai conseguir mentir
Você não vai conseguir deixar de sentir
Diga-me como eu e você devemos agir

Eu sei que vou plantar uma árvore do perdão
E os frutos te darei em louvor
Como prova da minha e tua salvação
Espero que possas me entender
A dor que sinto é profunda
Que penetra as entranhas do meu coração
Dá vontade de largar tudo e somente levar o meu ser
Mais isso eu também não posso fazer

O mundo sou eu

Enquanto a visão EU SOU

Nessa situação me diga sábio irmão o que devo fazer?

Se nessa vida não temos tempo para morrer
Me aceite que eu te aceito
Me dá que eu te dou
Me perdoe que eu te perdoo
Pois na vida somente temos tempo para APRENDER
Eu aprendo me olhando você
E você se espelha em mim em você

Estendo a minha mão
Numa cósmica compaixão
Para uma verdadeira união

A vida é o VERBO
E o verbo é o dizer
E nesse DIZER eu crio você
Você nasce e eu "morro"
Você morre e eu volto a nascer

Nesse ritmo "dilêmico" não temos tempo para sofrer
Saia dessa dor tamanha
E venha comigo viver
Vou me esforçar para sair dessa dor tacanha
Pois o nosso Deus-Pai já nos perdoou
Ele já viu que isso é pura manha

Vamos de fato viver
Num novo modo de ser?

Agora sou eu em você!

obs.: Dedico essa reflexão a todas as pessoas que inconscientemente magoei, ofendi ou desmereci. QUE DEUS NOS PERDOE!