Google+ Followers

porque convergimos e integramos com AMOR, VERDADE, RETIDÃO, PAZ E NÃO-VIOLÊNCIA

dedicamos este espaço a todos que estão na busca de agregar idéias sobre a condição humana no mundo contemporâneo, através de uma perspectiva holística, cujos saberes oriundos da filosofia, ciência e espiritualidade nunca são divergentes; pelo contrário exige-nos uma postura convergente àquilo que nos move ao conhecimento do homem e das coisas.
Acredito que quanto mais profundos estivermos em nossas buscas de respostas da consciência melhor será para alcançarmos níveis de entendimento de quem somos nós e qual o propósito que precisaremos dar as nossas consciências e energias objetivas e sutis para se cumprir o projeto de realização holística, feliz, transcendente, consciente e Amorosa.

"Trata-se do sentido da unidade das coisas: homem e natureza, consciência e matéria, interioridade e exterioridade, sujeito e objeto; em suma, a percepção de que tudo isso pode ser reconciliado. Na verdade, nunca aceitei sua separatividade, e minha vida - particular e profissional - foi dedicada a explorar sua unidade numa odisseia espiritual". Renée Weber

PORTANTO, CONVERGIR E INTEGRAR TUDO - TUDO MESMO! NAS TRÊS DIMENSÕES:ESPIRITUAL-SOCIAL-ECOLÓGICO

O cientista (psicólogo e reitor da Universidade Holística - UNIPAZ) PIERRE WEIL (1989) aponta os seguintes elementos para a falta de convergência e integração da consciência humana em geral: "A filosofia afastou-se da tradição, a ciência abandonou a filosofia; nesse movimento, a sabedoria dissociou-se do amor e a razão deixou a sabedoria, divorciando-se do coração que ela já não escuta. A ciência tornou-se tecnologia fria, sem nenhuma ética. É essa a mentalidade que rege nossas escolas e universidades"(p.35).

"Se um dia tiver que escolher entre o mundo e o amor...Lembre-se: se escolher o mundo ficará sem o amor, mas se escolher o amor, com ele conquistará o mundo" Albert Einstein

domingo, 20 de setembro de 2009

Egidio Vecchio – Mestre, Amigo e Humano



(http://www.flyed.com.br/egidio_vecchio.htm)

"Radicado no Brasil desde o ano de 1972, nasceu em Buenos Aires, Argentina, em 9 de junho de 1924. Doutor em psicologia, psicopedagogia e psicologia clínica. Pesquisador, professor, palestrante e escritor com várias obras publicadas, residia na cidade de Porto Alegre (RS), na qual estava à frente do Instituto Portal do Índigo e da Escola Brasileira de Reiki (EBR). Dedicado à psicologia clínica, atendia crianças e adolescentes índigos. Orientava pais e professores, ajudando-os a conviver melhor com seus filhos e alunos, de modo que estes pudessem desenvolver sua potencialidade tão especial. No Brasil, foi o responsável pela introdução da Análise Transacional de Eric Berne. Retornou ao mundo espiritual em 13 de julho de 2006, aos 83 anos de idade".

Quem foi Egidio Vecchio? Conheci Egidio Vecchio em 1988 durante uma crise espiritual. Guardo em minha memória uma pessoa maravilhosa. E com ele pude aprender que a nossa existência está inserida num vasto campo de energias sutis. Eu estava iniciando minha dissertação de mestrado, e o primeiro capítulo entreguei ao mestre Egidio para fazer uma crítica. O que ele me disse: "Bernardo, não vá pelo campo simbólico porque você vai se perder. Faça sua pesquisa pelo campo das energias sutis. Eu posso lhe emprestar o material que coletei em mais de vinte anos sobre tudo que se fala de energia". Confesso que sua personalidade e carisma me marcou profundamente. Ele transmitia paz e amizade. Foi um grande mestre da Análise Transacional e do Reiki.

Segue abaixo um poema que ele publicou em seu livro FIEL A TI:

"Um dia chegaste a meu consultório pedindo que eu te curasse
Nesse dia, eu te esperava, pretendendo curar-te.
Eram duas esperanças duas ilusões, duas necessidades
Eu necessitava confirmar que tanta ciência era eficaz.
Tratei-te, tecnicamente, como se fosses uma máquina
Com motores desajustados e peças soltas
Quis diagnosticar-te, colocar ordem em ti, modificar-te
Fracassei, fracassei, fracassei, fracassei
Tu procuravas um mágico que te desse receitas
Um doutor que te curasse, com pílulas ou com palavras
E eu te tratei quase como um objeto sem vida
Como uma coisa enferma, sem alma
Eu sabia, sabia, sabia muitas coisas...que tu necessitavas
Não te dei as pílulas que procuravas
Não pronunciei as mágicas palavras que esperavas
Fracassamos. Tu em tuas expectativas. Eu nas minhas.
Todavia não havia descoberto
Que a Terapia é função do Encontro
Todavia eu não sabia que não podia curar
E que, se te queria ajudar,
Antes devia esquecer minha ciência e meus doutorados
Para te ouvir, para te ajudar, para te amar,
Hoje já aprendi que na terapia
Não somos dois: Um doutor OK e um paciente Não OK
Somos uma mesma coisa no Encontro terapêutico
Eu sou tu, sentindo teu problema
Sem envolver-me nele
Tu és eu, vivendo uma nova experiência
Sem depender de mim.
Te aceito e me aceitas, me dou e te dás
Surge o diálogo, profundamente humano
Onde tu sabes e eu sei
Onde tu aprendes e eu aprendo
Onde eu te escuto para que tu possas escutar-te.
Onde o muito que sei é só para ajudar-te
Onde o muito que sabes te ajuda e me ajuda
A aprender mais.
Nosso diálogo não consiste em um mútuo falarmos
Consiste em escutarmos um ao outro
Calmamente, atenciosamente, profundamente
Quando aprendes a escutar a minha voz
Logo mesmo podes aprender a escutar tua própria voz
[...]Se queres aprender a viver
Desaprende o que aprendeste a não-viver
Condicionaram-te, condicionaram-te
Ensinaram-te a ser egoísta e a competir
Ensinaram-te como as feras, a matar para viver
Disseram-te que deves conquistar tua oportunidade
E nunca perdoar, e sempre desconfiar
E que não deves mostrar o que sentes
E que se és um lobo deves vestir pele de cordeiro
Teus pensamentos e teus sentimentos se tornaram divergentes
[...] Pais, educadores, sociedade, tradições
Cada um descarregou seu passado em ti
Vestes cada um desses modelos
Quando te comportas como eles te ensinaram
Mensagens de pureza branca
Mensagens negras de morte e suicídio
Mensagens cor-de-rosa, ingênuas,
Que só esperam Papai Noel
Vermelhas de raiva, esverdeadas de ódio
Amarelas de melancolia e tristeza
Cinzentas e apagadas com a depressão
Mensagens de angústia na competição
Portadoras de ansiedade na insegurança
Mensagens, mensagens, mensagens
Mil cores, mil estímulos, mil setas
Penetrando em tua mente nova
Não existas, Não penses, Não sintas".

Um comentário:

Anônimo disse...

Meu amado Mestre Prof. Dr. Egídio Vecchio, creio ter sido a última reikiana a me tornar mestre pelas suas mãos amorosas antes que tu retornasses às estrelas... Voltei a Porto Alegre, depois que tu pastistes. Mas nunca mais o encontrei. Sei que Francesco te acolheu nos teus braços, por isto estou em paz... Até um dia, carìssimo! Bacci in tuo cuore!