Google+ Followers

porque convergimos e integramos com AMOR, VERDADE, RETIDÃO, PAZ E NÃO-VIOLÊNCIA

dedicamos este espaço a todos que estão na busca de agregar idéias sobre a condição humana no mundo contemporâneo, através de uma perspectiva holística, cujos saberes oriundos da filosofia, ciência e espiritualidade nunca são divergentes; pelo contrário exige-nos uma postura convergente àquilo que nos move ao conhecimento do homem e das coisas.
Acredito que quanto mais profundos estivermos em nossas buscas de respostas da consciência melhor será para alcançarmos níveis de entendimento de quem somos nós e qual o propósito que precisaremos dar as nossas consciências e energias objetivas e sutis para se cumprir o projeto de realização holística, feliz, transcendente, consciente e Amorosa.

"Trata-se do sentido da unidade das coisas: homem e natureza, consciência e matéria, interioridade e exterioridade, sujeito e objeto; em suma, a percepção de que tudo isso pode ser reconciliado. Na verdade, nunca aceitei sua separatividade, e minha vida - particular e profissional - foi dedicada a explorar sua unidade numa odisseia espiritual". Renée Weber

PORTANTO, CONVERGIR E INTEGRAR TUDO - TUDO MESMO! NAS TRÊS DIMENSÕES:ESPIRITUAL-SOCIAL-ECOLÓGICO

O cientista (psicólogo e reitor da Universidade Holística - UNIPAZ) PIERRE WEIL (1989) aponta os seguintes elementos para a falta de convergência e integração da consciência humana em geral: "A filosofia afastou-se da tradição, a ciência abandonou a filosofia; nesse movimento, a sabedoria dissociou-se do amor e a razão deixou a sabedoria, divorciando-se do coração que ela já não escuta. A ciência tornou-se tecnologia fria, sem nenhuma ética. É essa a mentalidade que rege nossas escolas e universidades"(p.35).

"Se um dia tiver que escolher entre o mundo e o amor...Lembre-se: se escolher o mundo ficará sem o amor, mas se escolher o amor, com ele conquistará o mundo" Albert Einstein

segunda-feira, 24 de junho de 2013



Programa Sathya Sai Educare

O mestre e educador indiano Sathya Sai Baba vinha discutindo, desde a década de 60, o papel da educação na construção do caráter e na formação acadêmica de excelência. Criou escolas e inspirou a criação de outras em que muitos desses conflitos conseguiram ser superados. O Programa Sathya Sai Educare discute, portanto, algumas das questões amplamente compartilhadas na área educacional: os objetivos mais profundos da educação e os meios de alcançar esses objetivos. O próprio Sai Baba diz que essa filosofia educacional nada tem de novo –recupera os conceitos de educação propostos na Grécia Antiga, na Índia Antiga e em boa parte da tradição do Ocidente ou do Oriente. Seu objetivo mais profundo não é entupir crianças com conteúdos. A educação visa fazer emergir o potencial inerente a cada ser humano, formar o caráter e conferir o domínio das ferramentas acadêmicas que ajudem o estudante a atuar na vida e no mundo. O Programa Sathya Sai Educare não é uma pedagogia, no sentido de estabelecer mecanismos educacionais pelos quais essas metas são alcançadas.
Elas são, mais, um conjunto de questões e reflexões ao redor de conceitos básicos da educação, e de suas implicações teóricas e práticas. A maneira de aplicar esses princípios educacionais não está resolvida ou não pode ser apresentada com generalizações. Ainda que haja conceitos que possam ser propostos universalmente para a educação, sua aplicação deve estar ligada às peculiaridades de cada cultura, de cada região, de cada escola e de cada criança. As experiências de aplicação do Programa Educare têm sido muito especiais.
Contudo, há um número grande de elementos que ainda precisam ser desenvolvidos para o Brasil (bem como para outros países), particularmente na inter-relação entre os elementos próprios da cultura brasileira, que varia enormemente de região para região.
O propósito do Programa Sathya Sai Educare (PSSE) é formar o caráter. Para isso, são trabalhados todos os aspectos da personalidade da criança, desenvolvendo plenamente seu potencial, tornando-a apta a viver sua vida com plenitude.
Segundo Sathya Sai:
“Caráter é a unidade entre pensamento, palavra e ação. O caráter torna a vida imortal. Há quem diga que saber é poder, mas eu digo que o caráter é poder. Até a aquisição de conhecimento depende de um bom caráter. Desse modo, todos devem aprender a forjar um caráter impecável, sem vestígios de maldade. As qualidades que integram um bom caráter são amor, paciência, perseverança e compaixão. Essas contêm todas as qualidades mais elevadas e precisam ser respeitadas. A educação é um processo lento como o desenvolvimento de uma flor, na qual a fragrância se torna mais profunda e mais perceptível ao longo do florescimento silencioso, pétala por pétala. Esse desenvolvimento significa disciplina e inteligência, em vez de ser apenas o resultado da ação de uma pessoa dedicada à tarefa de ensinar e preparar o indivíduo para os exames, de maneira meramente repetitiva. O exemplo, e não o preceito, é a melhor ajuda para o ensino”.
Através da educação, pode-se despertar a essência que se encontra em cada coração, expressando-a na forma de uma boa conduta, um falar verdadeiro, amor em cada gesto, um sentimento contínuo de paz e de compreensão universal, a não-violência. A inserção do processo de formação de valores na educação é um complemento indispensável ao ensino das matérias acadêmicas, para que as verdadeiras metas da educação possam ser alcançadas.
Através da educação, o ser humano deve inteirar-se de que ele não é apenas um corpo físico, mas também a mente que controla os seus sentidos; o discernimento, que controla a mente; e a consciência, expressão e natureza da Divindade inerente nele. Por isso, para atingir os objetivos educacionais, é necessário trabalhar todos os níveis da personalidade: físico, emocional, mental, intelectual e espiritual.
Como afirma Sathya Sai, a educação tem como resultado final a formação do caráter, ao invés da mera aquisição desenfreada de informações; a educação deve promover a sabedoria. A educação, portanto, não é para ganhar a vida, mas para a vida. A educação, não deve dar às crianças apenas um meio de vida, mas inspirar um modo de vida que seja pleno de dignidade e equilíbrio, suportando igualmente os êxitos e fracassos, ambos inevitáveis no percurso, mantendo a mente equânime.
No contexto da educação escolar integral, o conceito de excelência alcança três componentes: a excelência acadêmica, a excelência de ambiente e a excelência humana (ou, de outro modo, excelência espiritual). O PSSE trabalha esses três aspectos. O trabalho proposto pelo Programa Educare junto aos professores e estudantes, portanto, pretende resgatar aspectos essenciais do ser humano, proporcionando condições para o desenvolvimento da consciência de responsabilidade de cada um em tornar seu mundo, interno e externo, melhor.
Os valores que norteiam o Programa Educare são os mesmos princípios éticos, filosóficos e espirituais de todas as religiões e de todas as culturas. Podem ser sintetizados em um valor fundamental, o Amor universal. Como diz Sathya Sai Baba, “A energia do Amor é a fonte da existência humana”.
O Programa Sathya Sai Educare não privilegia nenhuma religião ou sistema filosófico específico, embora possa abordar direta ou indiretamente aspectos culturais e filosóficos de diversas religiões. Isso permite que o estudante conheça e compreenda a essência de muitas culturas e religiões, traduzindo tudo o que for aplicável para sua própria vida.

Nenhum comentário: