Google+ Followers

porque convergimos e integramos com AMOR, VERDADE, RETIDÃO, PAZ E NÃO-VIOLÊNCIA

dedicamos este espaço a todos que estão na busca de agregar idéias sobre a condição humana no mundo contemporâneo, através de uma perspectiva holística, cujos saberes oriundos da filosofia, ciência e espiritualidade nunca são divergentes; pelo contrário exige-nos uma postura convergente àquilo que nos move ao conhecimento do homem e das coisas.
Acredito que quanto mais profundos estivermos em nossas buscas de respostas da consciência melhor será para alcançarmos níveis de entendimento de quem somos nós e qual o propósito que precisaremos dar as nossas consciências e energias objetivas e sutis para se cumprir o projeto de realização holística, feliz, transcendente, consciente e Amorosa.

"Trata-se do sentido da unidade das coisas: homem e natureza, consciência e matéria, interioridade e exterioridade, sujeito e objeto; em suma, a percepção de que tudo isso pode ser reconciliado. Na verdade, nunca aceitei sua separatividade, e minha vida - particular e profissional - foi dedicada a explorar sua unidade numa odisseia espiritual". Renée Weber

PORTANTO, CONVERGIR E INTEGRAR TUDO - TUDO MESMO! NAS TRÊS DIMENSÕES:ESPIRITUAL-SOCIAL-ECOLÓGICO

O cientista (psicólogo e reitor da Universidade Holística - UNIPAZ) PIERRE WEIL (1989) aponta os seguintes elementos para a falta de convergência e integração da consciência humana em geral: "A filosofia afastou-se da tradição, a ciência abandonou a filosofia; nesse movimento, a sabedoria dissociou-se do amor e a razão deixou a sabedoria, divorciando-se do coração que ela já não escuta. A ciência tornou-se tecnologia fria, sem nenhuma ética. É essa a mentalidade que rege nossas escolas e universidades"(p.35).

"Se um dia tiver que escolher entre o mundo e o amor...Lembre-se: se escolher o mundo ficará sem o amor, mas se escolher o amor, com ele conquistará o mundo" Albert Einstein

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

A CEIA E O VERDADEIRO PRESENTE DE NATAL


 
Eu vou montar um pequeno presépio e preparar uma bela ceia de natal
Colocarei sobre a mesa muitas castanhas, nozes, rabanadas, uvas e a minha fé fenomenal
E também colocarei valor de alimento espiritual
Um pouco de compaixão
Um pouco de inclusão
Um pouco de esperança
Um pouco de coração
Acenderei uma bela vela de chama ardente
  Para iluminar as consciências
  Para orientar com ciência
  Para reacender a chama da transcendência
  Para acabar de vez  com a escuridão da violência
Encherei uma taça e nela “brindarei” com lágrimas
  A paz que ainda não veio (e não virá tão cedo)
  A (des)globalização que não creio
  A oportunidade injusta para “todos”
Na quântica probabilidade dos sorteios
 Entoarei com fervor
  A oração dos desgraçados
  A oração dos esfomeados
  A oração dos desabrigados
  A oração dos desvalidos
  A oração dos penalizados
  A oração dos necessitados
  A oração dos desafortunados
  A oração dos desesperados
  A oração dos desempregados
  A oração dos refugiados
E de joelho humildemente com imensa compaixão rogarei:
ABBA, ABBA, ABBA
Venha a nós urgentemente  o Seu Reino Fenomenal
Traga de volta a Luz do Menino Transcendente
A Sua Presença Imanente
O Seu Poder Onipresente
A Sua Estrela Cadente de Natal
Revele de novo a esse Homem Moderno  inconsciente
Fazendo todos perceberem que o Natal
Não é coisa material e nem fe$ta do idolatrado Real
Mas a  Verdadeira Festa de Caridade, Amizade e Irmandade
Ela simboliza o nascimento do  Menino Jesus
O Único Presente-Valor  Real de Verdade
Pois, Não basta dar alguns presentes
E depois continuar longe dos pobres
E ausente da humilde gente carente
Faz-se necessário ser a própria Ética Permanente
Fonte e Luz de Amor Transcendente!

Porque para mim Natal é Deus presente
E Deus  não é apenas uma palavra bonita e atraente
Deus não tem rosto permanente
Deus se oculta na face imanente de seus vários filhos transcendentes
Deus é alegria nos rostos dos simples, pacíficos e carentes
Deus é pura energia e Amor envolvente
Deus é a encarnação e renascimento do universal no individual
O Amar do ser total no parcial
A Verdade do sagrado no mundo profano
O casamento da divindade com o ser humano
Com direito a lua de mel no Reino do Céu
Deus, ó meu Deus!
Expressão tão repetida e muito pouco vivida
Nas várias bocas esquecidas
Dos filhos inconscientes do poder e glória
Da Fonte Eterna e Materna de todas as vidas

Deus é Real
Deus é Natal Todos os Dias
A Todos Desejo de coração: Seja Feliz Amando o Verdadeiro Natal!

Bernardo Melgaço da Silva

Nenhum comentário: