Google+ Followers

porque convergimos e integramos com AMOR, VERDADE, RETIDÃO, PAZ E NÃO-VIOLÊNCIA

dedicamos este espaço a todos que estão na busca de agregar idéias sobre a condição humana no mundo contemporâneo, através de uma perspectiva holística, cujos saberes oriundos da filosofia, ciência e espiritualidade nunca são divergentes; pelo contrário exige-nos uma postura convergente àquilo que nos move ao conhecimento do homem e das coisas.
Acredito que quanto mais profundos estivermos em nossas buscas de respostas da consciência melhor será para alcançarmos níveis de entendimento de quem somos nós e qual o propósito que precisaremos dar as nossas consciências e energias objetivas e sutis para se cumprir o projeto de realização holística, feliz, transcendente, consciente e Amorosa.

"Trata-se do sentido da unidade das coisas: homem e natureza, consciência e matéria, interioridade e exterioridade, sujeito e objeto; em suma, a percepção de que tudo isso pode ser reconciliado. Na verdade, nunca aceitei sua separatividade, e minha vida - particular e profissional - foi dedicada a explorar sua unidade numa odisseia espiritual". Renée Weber

PORTANTO, CONVERGIR E INTEGRAR TUDO - TUDO MESMO! NAS TRÊS DIMENSÕES:ESPIRITUAL-SOCIAL-ECOLÓGICO

O cientista (psicólogo e reitor da Universidade Holística - UNIPAZ) PIERRE WEIL (1989) aponta os seguintes elementos para a falta de convergência e integração da consciência humana em geral: "A filosofia afastou-se da tradição, a ciência abandonou a filosofia; nesse movimento, a sabedoria dissociou-se do amor e a razão deixou a sabedoria, divorciando-se do coração que ela já não escuta. A ciência tornou-se tecnologia fria, sem nenhuma ética. É essa a mentalidade que rege nossas escolas e universidades"(p.35).

"Se um dia tiver que escolher entre o mundo e o amor...Lembre-se: se escolher o mundo ficará sem o amor, mas se escolher o amor, com ele conquistará o mundo" Albert Einstein

segunda-feira, 25 de maio de 2009

A VOZ DO SILÊNCIO DIVINO

Ainda que me apresentassem todo um discurso rebuscado filosófico e dados científicos concretos
Eu diria com fé, compaixão e humildade: cala-te homem!
Já ouvistes o silêncio da verdade?
Já frequentastes o templo da divina sensibilidade?

Se não fostes ao pico da Amorosa Verdade Silenciosa
Então nada sabes a respeito da tão falada e ignorada verdade!
Apenas resmunga palavras sem conteúdo e essência
Apenas dita verbos e substantivos intelectuais reproduzidos e mecanicamente decorados
Apenas teoriza hipóteses e paradigmas racionalizados e limitados
Apenas agoniza na ânsia pelo som inaudível que vem do Outro Lado

Ouça: a verdade é a voz do próprio silêncio conquistado!
Assim disse o admirável Albert Einstein: “O Velho me disse...”
Assim afirmou o magnifíco Sócrates: “Conhece-te a ti mesmo”
Então ouça: cala-te homem!
Firme-se nesse propósito de não dizer ou julgar aquilo que não ouviu diretamente do Silêncio Cósmico Ancião
Busque compreender o contexto da Rainha sensibilidade AMOROSA
Ela mora ao lado do Rei-silêncio profundo no princípio de todo Ser também humano

Se um dia encontrá-la verás e ouvirás um mundo de verdades nunca dito
E nesse novo modo de perceber saberás o que de fato pensavas sobre a arte de novo ser
Sem poder no entanto de fato nesse mundo de pseudas verdades se fazer compreender
Pois com certeza te chamarão de anormal, insano ou louco

É verdade sim!
Porque quem tem um olho da verdade é rei e quem tem a visão da sensibilidade é insano e louco!
Louco por querer falar o que não se fala com a poiesis da razão
Insano por querer mostrar o que não se vê senão com a práxis da intuição
E anormal por querer demonstrar o que não se comprova pela ciência da intervenção

És louco! És insano! És anormal!
Porque és para muitos deles apenas ruído e significado muito distante e totalmente desconhecido
Falando aquilo que somente pode ser ouvido quando se vive no templo do Silêncio Interior
Mostrando aquilo que somente pode ser visto pela luz na vivência da alta Sensibilidade sutil do Amor
Tentando provar aquilo que somente se saboreia pelo fervor da fé sensível na ciência da compreensão

És louco! És insano! És anormal!
E ao mesmo tempo és sincero, sensível, MESTRE e sábio!
Mas se tu ainda não fostes ao templo do silêncio soberano Criador
Então o primeiro Ato Existencial: aquieta-te e cala-te por Amor à Verdade!

Se reserve à própria ignorância existencial
De nada vale um titulo ou autoridade sem a sabedoria do Último e belo encontro de Amor Real
O majestoso encontro ontológico do Rei-silêncio com a Rainha-sensibilidade
Pois nesse encontro está o Poder Criador do Verbo que se torna carne
Que se torna muitas vezes humano
Que se comunica muito além de qualquer discurso-contexto do mundo profano
E que se transmuta na crença de conhecer a verdade
Que se oculta no caminho e na fonte da verdade do conhe-Ser-em-Si
Para ser aquilo que de fato diz ver e saber com propriedade

Ó homem só lhe resta um caminho de esperança e evolução!
Volte-se imediatamente para a luz interior do silêncio profundo
Deixem que lhe chamem várias vezes de cego e louco de paixão intuitiva existencial
Deixem que riam de teu caso solitário, perdido, inútil e insano
A maravilhosa diferença está na alteridade do encontro do silêncio da luz transcendental
A maravilhosa diferença é a tua própria sensibilidade-luz-essência de fonte espiritual

Siga o teu próprio e único trabalho-disciplina de conhe-Si-mento-transcendência
Siga o teu próprio e único caminho-encantamento agradável de paz-estrela-vivência
Siga a tua própria e única verdade de ser uma chama-viva-de-consciência
O Amor é o Sentido Cósmico no ato sagrado de Criação da gloriosa e eterna Existência
E a Presença do Verbo Divino é o referencial do Senhor em Seu Silêncio e Imanência
Um encontro com a Transcendência para muito além de tudo o que é racionalmente falado sem consciência

Bernardo Melgaço da Silva

Nenhum comentário: