Google+ Followers

porque convergimos e integramos com AMOR, VERDADE, RETIDÃO, PAZ E NÃO-VIOLÊNCIA

dedicamos este espaço a todos que estão na busca de agregar idéias sobre a condição humana no mundo contemporâneo, através de uma perspectiva holística, cujos saberes oriundos da filosofia, ciência e espiritualidade nunca são divergentes; pelo contrário exige-nos uma postura convergente àquilo que nos move ao conhecimento do homem e das coisas.
Acredito que quanto mais profundos estivermos em nossas buscas de respostas da consciência melhor será para alcançarmos níveis de entendimento de quem somos nós e qual o propósito que precisaremos dar as nossas consciências e energias objetivas e sutis para se cumprir o projeto de realização holística, feliz, transcendente, consciente e Amorosa.

"Trata-se do sentido da unidade das coisas: homem e natureza, consciência e matéria, interioridade e exterioridade, sujeito e objeto; em suma, a percepção de que tudo isso pode ser reconciliado. Na verdade, nunca aceitei sua separatividade, e minha vida - particular e profissional - foi dedicada a explorar sua unidade numa odisseia espiritual". Renée Weber

PORTANTO, CONVERGIR E INTEGRAR TUDO - TUDO MESMO! NAS TRÊS DIMENSÕES:ESPIRITUAL-SOCIAL-ECOLÓGICO

O cientista (psicólogo e reitor da Universidade Holística - UNIPAZ) PIERRE WEIL (1989) aponta os seguintes elementos para a falta de convergência e integração da consciência humana em geral: "A filosofia afastou-se da tradição, a ciência abandonou a filosofia; nesse movimento, a sabedoria dissociou-se do amor e a razão deixou a sabedoria, divorciando-se do coração que ela já não escuta. A ciência tornou-se tecnologia fria, sem nenhuma ética. É essa a mentalidade que rege nossas escolas e universidades"(p.35).

"Se um dia tiver que escolher entre o mundo e o amor...Lembre-se: se escolher o mundo ficará sem o amor, mas se escolher o amor, com ele conquistará o mundo" Albert Einstein

sexta-feira, 2 de maio de 2008

A INSUSTENTÁVEL TRAJETÓRIA DO EGO

Muito tem se falado da condição instável da vida humana. A cada dia que se passa sentimos que caminhamos por trilhas de sofrimento, ilusão, violência e ignorância. Num mundo onde a roupa vale mais do que o corpo, e o corpo mais do que Espírito, o que poderemos esperar num futuro próximo? E quantos se enganam pensando estarem certos? O que vale mais: o poder do ouro ou o poder do caráter? Olhamos a nossa volta e encontramos uma vida planejada, mas desequilibrada; uma vida calculada, mas insensível; uma vida de luxúria, mas cercada por imensos oceanos de pobreza; uma vida cheia de setas psicológicas e ideológicas, mas sem sentido verdadeiro. O pequeno cone de percepção da vida utilitária não consegue mostrar a imensidão da vida multidimensional, interdependente e conectada com o cosmos em tudo e em todos. Busca-se poder sem perceber que nenhum poder material salva o homem da ignorância de se afastar do verdadeiro poder superior que transcende a conquista efêmera - – apenas psicológica! - do mundo externo material.
Quantas vezes intui o quanto acertei e fui atendido – em agosto de 1988 - ao pedir a Deus em oração uma vida e caminho sem poder material pragmático. Olho agora a minha volta e me certifico do mundo selvagem que vem se manifestando no campo das relações humanas. A luta pela sobrevivência apaga a memória espiritual de que somos seres transcendentes criadores de realidades. E que podemos escolher a realidade que assim desejarmos viver e trilhar rumo ao infinito da perfeição. E quase todos são envolvidos pelo véu do esquecimento de suas origens. Pois, raros são aqueles que se lembram de suas origens e identidades ontológicas – cósmicas! As ideologias que praticam obscurecem o mundo dos valores. As ciências que conhecem acabam desconhecendo a natureza da sua essência criadora. As religiões que seguem contemplam um deus limitado pelo raio de ação de suas razões sem Amor incondicional.
Mas, a natureza criadora é sábia e fará tudo para retornar ao eixo e ao centro da evolução e unidade cósmica. Aqueles que se acham superiores cairão em desgraças simplesmente pelo fato de não perceberem que na trajetória e força das leis criadoras não existe diferença entre bem e mal, céu e terra, macrocosmo e microcosmo, física e metafísica. Só existe complementariedade na identidade profunda em cada existência criada! A vida é renovação constante das forças complementares que agem na origem da criação-consciência. A morte não existe para quem já morreu um dia em vida. Isto porque, recebeu da natureza a vivência da experiência renovadora da criação. E a este fenômeno divino denomino TRANSCENDÊNCIA DO PODER CRIADOR. Em outras palavras, não existe um fim, mas recomeço e renovação, uma espécie de salto quântico evolucionário da existência.
Pobres daqueles que clamam por revolução fora da consciência de si mesmo! Estão cegos tentando conduzir milhares ou milhões de cegos como eles. Sinto compaixão por não poder agir num contexto onde é garantido o direito de experimentar e escolher, podendo-se como conseqüência – mesmo inconsciente! - amar ou sofrer, destruir o outro ou se autodestruir.
Assim, quem vê o outro como inimigo não sabe o que vê e muito menos sabe ser e perceber a sua imagem refletida na construção e criação psicológica do outro. Somos CRIADORES , inclusive e principalmente de imagens e falsas identidades. O que criamos pode ser tão profundo e belo guiado pelo poder do Amor, quanto pode ser tão superficial e feio guiado pelo poder do terror. Esses são os dois extremos criadores possíveis de serem experimentados e vivenciados por cada um de nós. Somos verdadeiramente heróis ou santos quando nos salvamos dando (morrendo para) a vida que criamos egoisticamente.
Portanto – VOCÊ MESMO DECIDE, SALVA E CRIA O SEU PRÓPRIO DESTINO!
Prof. Bernardo Melgaço da Silva e-mail: bernardomelgaco@hotmail.com

Nenhum comentário: